Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa russa: avião Il-20 foi derrubado por mísseis sírios S-200

De acordo com o ministério russo, o sistema de defesa aérea sírio tentava atacar um avião de Israel. No entanto, a tripulação israelense fez uma manobra especial para se proteger, e o míssil acabou atingindo acidentalmente o avião russo Il-20.
Sputnik

O avião Il-20 desapareceu dos radares em 17 de setembro, por volta das 23h do horário de Moscou, (17h em Brasília) durante o retorno planejado à base aérea de Hmeymim, acima do território do mar Mediterrâneo, a 35 quilômetros da costa da Síria, informou o comunicado do Ministério da Defesa da Rússia. O represente oficial da Defesa russa, Igor Konashenkov sublinhou que os aviões israelenses "propositalmente criaram uma situação perigosa para navios e aviões nessa região".

Na opinião dele, para evitar o ataque sírio, a tripulação israelense acabou tornando o Ilyushin-20 alvo de ataque.

"Ao tentarem proteger-se com ajuda do avião russo, os pilotos israelenses o puseram debaixo de fogo do sistema de defesa antiaérea da Síria"…

Míssil balístico dos houthis pode ter atingido aeroporto de Riad

Riad ainda não comentou as informações. O alegado ataque ocorreu 10 dias após os militares sauditas terem interceptado um míssil lançado pelas forças houthis do Iêmen.


Sputnik

A agência de notícias iemenita Saba, controlada pelos rebeldes houthis, anunciou o lançamento do míssil balístico Burkan H-2 em direção ao aeroporto de Riad.


Vista geral de Riad (foto de arquivo)
Riad, Arábia Saudita © Sputnik/ Aleksandr Yuriev

O alegado ataque aconteceu 10 dias após os militares sauditas terem interceptado um míssil lançado pelos houthis iemenitas, que tinha como alvo a área civil da província saudita de Najran, situada na região sudoeste do país.

O míssil pode ter atingido seu alvo. Os oficiais da Arábia Saudita ainda não comentaram a situação.

As forças houthis vêm atacando posições da Arábia Saudita com mísseis, sendo o aeroporto de Riad um dos alvos principais dos rebeldes. Na sequência do último ataque contra ele, em 4 de novembro de 2017, a coalizão, encabeçada pela Arábia Saudita, introduziu bloqueio temporário contra portos iemenitas.

A situação no Iêmen vem se agravando desde fim de novembro, quando ex-aliado dos houthis e ex-presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh, apelou para "virar a página da história" nas relações com a coalizão liderada pela Arábia Saudita. Três dias depois, Saleh foi assassinado pelas forças houthis.

A coalizão liderada pela Arábia Saudita iniciou operação no Iêmen em 2015 a pedido do então presidente do país, Abd Rabbuh Mansur Hadi, depois de os rebeldes houthis terem se aliado ao ex-presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas