Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Oficial americano joga culpa para Israel pelo ataque às forças sírias

No domingo (17), a mídia síria relatou ataque ao povoado sírio Al-Harra, província de Deir ez-Zor, na fronteira com o Iraque, supostamente realizado pela coalizão internacional, liderada pelos EUA, tendo como alvo forças governamentais. Porém, um oficial americano culpou Israel pelo ataque.
Sputnik

Anteriormente, uma fonte militar relatou à mídia síria que drones "provavelmente americanos" bombardearam Al-Harra, entre Abu Kamal e Al-Tanf.

Segundo dados das Forças de Mobilização Popular iraquianas, o ataque matou 22 soldados iraquianos. O Observatório Sírio de Direitos Humanos, por sua vez, disse que o número total de vítimas corresponde a 52 pessoas, citado pelo Haaretz.

"Entre [os mortos] estão ao menos 30 militares iraquianos e 16 sírios, incluindo soldados e membros da milícia leal ao governo", afirmou à mídia o chefe do Observatório Sírio, Rami Abdel Rahman.

Comentando a notícia, o porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, Adrian Rankine-Galloway, descartou que W…

Moscou estabelece local de lançamento de drones contra sua base aérea na Síria

Edição governamental russa afirmou ter sido estabelecido o local de onde foram lançados os drones que atacaram as bases russas na Síria em 6 de janeiro.


Sputnik

Os drones que atacaram a base militar russa de Hmeymim na Síria decolaram da área sudoeste da zona de desescalada na cidade síria de Idlib, controlada pela oposição moderada, informou nesta quarta-feira (10) o jornal Krasnaya Zvezda, veículo de imprensa oficial do Ministério da Defesa russo.


Avião russo na base aérea de Hmeymim, na Síria
Sukhoi Su-30 na base aérea Hmeymim, Síria © Sputnik/ Dmitry Vinogradov

De acordo com a edição, "foi estabelecido que o lançamento de drones foi realizado do povoado de Muazzara, situado na área sudoeste da zona de desescalada de Idlib, controlada pelos grupos armados da assim chamada oposição 'moderada'".

O Ministério da Defesa russo enviou uma carta ao chefe do Estado-Maior da Turquia, general Hulusi Akar, e ao chefe da Organização Nacional de Inteligência turca, Hakan Fidan.

Segundo o Krasnaya Zvezda, estes documentos "assinalam a necessidade de Ancara cumprir suas obrigações de pôr fim às hostilidades por parte dos grupos armados turcos, bem como de incentivar os esforços de instalar postos de observação na área de desescalada de Idlib a fim de evitar ataques de drones contra qualquer objeto".

Na noite de 6 de janeiro, as bases militares de Hmeymim e de Tartus, na Síria, ambas sob administração russa, repeliram um ataque massivo de drones contra as suas instalações.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas