Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Helicópteros americanos estariam resgatando terroristas do Daesh de prisão síria

Os helicópteros norte-americanos tiraram terroristas do Daesh de uma prisão na cidade síria de Al-Hasakah, informou uma fonte local à Sputnik.
Sputnik

"Habitantes locais viram do telhado helicópteros estadunidenses aterrissando no território de uma prisão local, controlada pelos curdos, para tirar de lá terroristas do Daesh", afirmou a fonte — que preferiu não ser identificada — em Al-Hasakah à Sputnik Árabe.


Além disso, há informações que os militares norte-americanos estariam trazendo para a prisão várias munições, porque planejam criar no lugar uma base.

Anteriormente, a mídia iraquiana comunicou que helicópteros dos EUA tinham transportado membros do grupo Daesh (proibido na Rússia) da prisão central de Al-Hasakah para sua base perto do povoado Abu Hajar, no leste da Síria.

De acordo com fontes locais, na prisão de Al-Hasakah, muito bem fortificada, estariam encarcerados cerca de 100 terroristas, a maioria de cidadania estrangeira. Especialistas sírios acham que são os mesmos…

'Não conseguiríamos manter nosso exército durante 6 meses sem apoio dos EUA'

Sem o apoio financeiro dos EUA, o exército afegão não conseguirá manter-se mais do que seis meses, declarou o presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, em entrevista com o canal de televisão CBS.


Sputnik

"Não conseguiríamos manter nosso exército por seis meses sem apoio e capacidades dos EUA", destacou.


Treinamento dos futuros soldados da Força Aérea do Afeganistão
Militares afegãos em treinamento © AP Photo/ Musadqe Sadeq

"Sim. Porque não temos dinheiro", respondeu o presidente explicando a razão.

Ao mesmo tempo, o presidente afegão sublinhou que o país "não precisa de outros [países] para conduzir suas batalhas".

De acordo com Ashraf Ghani, combatentes de 21 organizações terroristas operam no território do país.

Segundo indica o canal, em 2017 houve um período quando apenas em quatro meses mais de 4.000 policiais e militares afegãos ficaram feridos e 2.500 morreram.

Ao comentar essa situação, o presidente avisou que isso continuará até que "a segurança do Afeganistão seja garantida".

"Tão longo, quanto necessário [lutar]. Durante gerações, se for preciso", concluiu.


Postar um comentário