Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Estados Unidos esperam sinais da Coreia do Norte sobre possível diálogo, diz Tillerson

'Mantemos nossos canais abertos', diz secretário de Estado em entrevista a TV.
EFE

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Rex Tillerson, afrmou neste domingo que está atento a possíveis sinais da Coreia do Norte sobre a chance de iniciar um diálogo, que começaria sendo bilateral, mas no qual a China assumiria algum papel mais adiante.

"O meu trabalho como chefe da diplomacia é garantir que os norte-coreanos saibam que mantemos nossos canais abertos", disse Tillerson em entrevista exibida na noite de domingo pela emissora "CBS", e da qual o Departamento de Estado proporcionou uma transcrição nesta segunda-feira.

"Não estou mandando muitas mensagens de resposta porque, por enquanto, não há nada a dizer, portanto estou ouvindo para que você (a Coreia do Norte) me diga que está preparado para falar", acrescentou Tillerson.

Ao ser questionado sobre como saberia se a Coreia do Norte está disposta a realizar negociações, Tillerson respondeu: "Eles vã…

Pence adverte que EUA sairão de acordo nuclear com Irã se não houver mudanças

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, disse nesta segunda-feira que "o acordo nuclear com o Irã é um desastre" e advertiu que "os EUA se retirarão imediatamente" se o mesmo não for modificado.


EFE

"Como deixou claro o presidente (Donald) Trump, esta é a última tentativa e, caso não haja mudanças no acordo nuclear com o Irã, os Estados Unidos deixarão o acordo nuclear imediatamente", declarou o vice-presidente americano no parlamento israelense durante a visita oficial que realiza ao país.


EFE/ Ariel Schalit
Mike Pence | EFE/ Ariel Schalit

Pence destacou que o acordo nuclear firmado em 2015 "só adia o momento em que o Irã conseguirá uma arma nuclear".

O vice-presidente acrescentou que os EUA "não voltarão a certificar" o mecanismo que suspende as sanções ao Irã por seu programa nuclear e sobre o qual deve se pronunciar a cada 120 dias por imperativo legal, a não ser que o acordo seja modificado, como advertiu Trump no dia 12, a última vez em que renovou este dispositivo.

"Os EUA jamais permitirão que o Irã consiga uma arma nuclear", reiterou Pence diante do parlamento, que o explodiu em aplausos, a começar pelo premiê israelense, Benjamin Netanyahu, um forte opositor do acordo, que considera o Irã uma das principais ameaças para Israel e o resto do mundo.

O vice-presidente americano comentou que seu país "seguirá trabalhando com as nações de todo o mundo e com Israel para fazer frente ao maior Estado que dirige e patrocina o terrorismo: a República Islâmica do Irã", "uma ditadura brutal" que quer "dominar o Oriente Médio" e "semear o caos na região".

Diante disto, Pence reiterou o compromisso de seu país com "a segurança, a prosperidade e a paz", durante a visita oficial de menos de 48 horas que realiza em Israel e com a qual vai encerrar seu giro pelo Oriente Médio, que não inclui reuniões com os palestinos.


Postar um comentário