Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia acionará judicialmente os EUA, caso entregas dos F-35 sejam bloqueadas

Segundo o porta-voz do presidente turco, Ibrahim Kalin, a Turquia recorrerá a medidas jurídicas caso as entregas dos F-35 sejam bloqueadas pelos EUA.
Sputnik

Ibrahim Kalin citou para a mídia turca que "não é nada fácil rescindir este contrato, somos parte de um contrato multilateral, cumprimos com todas as exigências e pagamos, caso os EUA não cumpram, recorreremos à lei".

O Congresso americano decidiu recentemente suspender as entregas dos caças americanos de quinta geração F-35 à Turquia devido aos planos de Ancara de adquirir o sistema de defesa antiaérea russo S-400, além de ameaçá-la com sanções em diversas ocasiões, como citado em artigo da Sputnik Mundo.

O avançado sistema antiaéreo S-400 Triumph (SA-21 Growler, na classificação da OTAN) é capaz de abater alvos aéreos com tecnologia furtiva, mísseis de cruzeiro e mísseis balísticos táticos e táticos-operacionais, tem um alcance de até 400 km e pertence à geração 4+, sendo duas vezes mais eficaz que seus antecessores.

Os se…

Pence anuncia abertura de embaixada dos EUA em Jerusalém antes de 2020

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, anunciou nesta segunda-feira no Knesset, o parlamento de Israel, que a mudança da embaixada de Tel Aviv para Jerusalém acontecerá "antes do final do ano que vem".


EFE

"Jerusalém é a capital de Israel e como tal, (Donald) Trump deu indicações ao Departamento de Estado para iniciar os preparativos para a transferência da embaixada dos Estados Unidos para Jerusalém", declarou nesta segunda-feira o vice-presidente americano no parlamento israelense em um discurso que foi boicotado pelos deputados árabes-israelenses.


EFE/ Ariel Schalit
 Mike Pence e Benjamin Netanyahu | EFE/ Ariel Schalit

Os parlamentares da Lista Comum, a terceira força do parlamento e de maioria árabe, levantaram um cartaz com a fotografia do conhecido Domo da Rocha, na Cidade Velha, com a frase "Jerusalém, capital da Palestina", e foram retirados do recinto.

Pence indicou que Trump "fez história no mês passado" e tomou a decisão pelo bem "da paz".

Com este reconhecimento, Washington "prioriza os fatos sobre a ficção", já que estes "são a única base para uma paz justa e duradoura" entre palestinos e israelenses, algo com o qual os EUA "estão comprometidos", frisou o vice-presidente.

"Ao anunciar esta decisão sobre Jerusalém, o presidente pede a todas as partes que o 'status quo' seja mantido sobre os lugares sagrados", detalhou Pence.

"Como Trump deixou claro, os EUA não têm qualquer intenção de tomar posições sobre nenhuma questão final, incluindo as fronteiras concretas da soberania israelense em Jerusalém e a resolução de fronteiras em disputa", comentou o vice-presidente americano.

No dia 6 de dezembro, Trump rompeu com décadas de consenso internacional ao reconhecer Jerusalém como capital de Israel e anunciar a futura transferência da embaixada de Tel Aviv para a Cidade Sagrada, onde nenhum país mantém sua principal missão diplomática.

Os palestinos exigem a parte oriental de Jerusalém como capital de seu Estado, um território que está ocupado por Israel desde a Guerra dos Seis Dias de 1967, e que foi anexado em 1980 mesmo com a rejeição da comunidade internacional.

Desde o anúncio, os líderes palestinos insistem em rejeitar Washington como mediador, e se recusam a manter qualquer reunião com o atual governo dos EUA.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas