Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Su-57 russo supera caças de 5ª geração F-22 e F-35 dos EUA, diz piloto militar

O uso de caças F-22 pela Força Aérea dos EUA na Síria privou este modelo de suas vantagens sobre aeronaves russas, segundo a mídia norte-americana. Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, um piloto militar russo comentou a situação.
Sputnik

A utilização de caças norte-americanos F-22 na Síria privou os EUA das vantagens destes caças em relação aos caças russos, escreveu o jornal Military Watch. Segundo Veralinn Jamieson, tenente-general da Força Aérea dos EUA, os céus do Iraque e da Síria se tornaram "armazém de informações" para russos sobre atuação de caças estadunidenses durante operações.

Segundo o autor do artigo, os russos tiveram bastante tempo para analisar e testar a tecnologia de furtividade dos F-22, além de terem coletado dados sobre o uso da aeronave e encontrado meios de combatê-la. Além disso, a Rússia poderá usar essas tecnologias na fabricação de suas aeronaves.

O artigo enfatiza que os radares dos sistemas de mísseis antiaéreos S-300 e S-400 da Rússia …

Que forças estão por trás do armamento europeu encontrado na Síria?

Na área de Al-Tanf, depois de terem eliminado cinco terroristas, forças sírias encontraram armas europeias. Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o especialista militar, Vladimir Bogatyrev, assinalou que no momento ninguém tenta disfarçar que o Ocidente proporciona ajuda aos terroristas.


Sputnik

Soldados sírios, após de terem eliminado terroristas na área de AL-Tanf, encontraram equipamento de guerra eletrônica de produção europeia.


Resultado de imagem para forças sírias encontraram armas europeias
Dentro do parque militar confiscado encontram-se foguetes de fabricação estadunidense tipo Lao, mísseis Milane de fabricação francesa, e granadas propulsadas por foguetes de Checoslováquia tipo RPG 75 e outros projéteis modelos RPG 26 e RPG 22 | Prensa Latina

Em 24 de janeiro, os militares sírios entraram em combate com um grupo de extremistas próximo da fronteira da zona de Al-Tanf. Foram eliminados cinco terroristas, tendo sido destruídos dois veículos todo-terreno. O terceiro carro conseguiu escapar.

Além do equipamento de guerra eletrônica, munições e literatura extremista, nos veículos todo-terreno foram encontradas várias bandeiras e insígnias das Forças do Mártir Ahmad Abdo, cujos combatentes – futuros integrantes do chamado Novo Exército Sírio – estão sendo treinados próximo de Al-Tanf sob direção de instrutores militares dos EUA.

O especialista militar, Vladimir Bogatyrev, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, revelou os objetivos dos terroristas que ainda permanecem na Síria.

"No momento, considerando que o exército sírio apoiado pela Força Aeroespacial Russa cumpriu os objetivos principais de eliminação do Daesh [organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países], a chamada oposição síria está efetuando uma atividade de vigilância e sabotagem. Só que, de fato, trata-se de grupos terroristas, abertos ou ocultos, que continuam a realização das ideias do Daesh e Al-Qaeda [organizações terroristas proibidas na Rússia e em vários outros países] e têm como seu objetivo principal a desestabilização do regime sírio atual, o impedimento das negociações de paz e até a realização de atos de sabotagem", explicou Vladimir Bogatyrev.

De acordo com ele, essa atividade decorre com ajuda do Ocidente.

"É evidente que essas forças, e ninguém esconde isso, são apoiadas pelos EUA, por um conjunto de países árabes e, sem dúvidas, há armas que são fornecidas por alguns países europeus. Não é tão importante se isso é feito por serviços secretos, estruturas governamentais ou […] grupos privados. O que é importante é que são criadas condições e possibilidades para que os grupos terroristas continuem sua atividade no território da Síria. Existem dois objetivos que eles perseguem: desestabilizar a situação e dividir a Síria em vários enclaves. Por trás disso estão forças concretas que ganham seus lucros com o petróleo e outros recursos minerais do país árabe", ressaltou o especialista militar.


Postar um comentário