Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

Rússia afirma efetuar monitoramento permanente do uso de armas por militantes na Síria

Hoje (11), o Estado-Maior da Rússia informou que o Ministério da Defesa do país efetua monitoramento contínuo do uso de todos os tipos de armamentos e equipamentos bélicos por militantes no território sírio, elaborando contramedidas.


Sputnik

Vale destacar que o Ministério da Defesa da Rússia efetua monitoramento permanente do uso de todos os tipos de armamentos e equipamentos militares por militantes na Síria e elabora medidas de resistência adequadas. Isso diz respeito de forma plena aos veículos aéreos não tripulados", afirmou o general-major Aleksandr Novikov, citado pelo Estado-Maior russo.


Grupo aéreo russo na base de Hmeymim, na Síria
Grupo aéreo russo na base militar de Hmeymim, Síria © Foto: Ministério da Defesa russo

Além do mais, o militar, que também ocupa a chefia do Departamento de Construção e Desenvolvimento de Sistemas de Uso de Drones do Estado-Maior russo, assinalou que a montagem e exploração dos drones por terroristas na Síria é uma tarefa difícil do ponto de vista de engenharia.

Frisa-se que as peças usadas para montar estes veículos, ou seja, motores, aparelhos de guidão, baterias de carga, tudo isso pode ser comprado separadamente e livremente.

"Entretanto, sua montagem e uso em um sistema unificado representa em si uma tarefa difícil do ponto de vista de engenharia que exige treinamento especial, conhecimentos em diferentes áreas científicas e experiência prática de construção dos respectivos veículos", enfatizou.

Além disso, o Estado-Maior russo assegurou que o fato dos militantes terem recebido tecnologias para montagem de drones do exterior significa que esta ameaça não se limita apenas à Síria.

Nesse contexto, o Ministério da Defesa da Rússia realçou que "para neutralizar tais ameaças", é indispensável garantir a "cooperação internacional de todas as partes interessadas" a nível mais alto possível.

Anteriormente, militares russos comunicaram que na madrugada de 6 de janeiro foi esmagada uma tentativa de ataque terrorista à base russa na Síria, Hmeymim, dado que nesta se envolviam particularmente 13 veículos aéreos não tripulados.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas