Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Rússia aumenta seu potencial nuclear em resposta à realidade que a rodeia

Rússia está ampliando as capacidades de seu potencial nuclear em resposta à realidade que a cerca independentemente de qualquer declaração ou reação dos EUA, declarou o presidente do Comitê de Defesa e Segurança do Senado russo, Viktor Bondarev.


Sputnik

"A Rússia está aumentando seu potencial nuclear de acordo com as realidades atuais, a situação política internacional em geral, e não em resposta a alguma declaração concreta dos Estados Unidos ou uma reação", declarou o senador.


O complexo Yars é visto na Praça Vermelha durante o desfile militar da Parada da Vitória em 9 de maio em Moscou
Míssil russo Yars em desfile © Sputnik/ Aleksandr Vilf

Ao mesmo tempo, Bondarev destacou que o desenvolvimento das Forças de Mísseis Estratégicos é parte das prioridades do novo programa de armamento, aprovado pelo Ministério da Defesa russo, que será implementado entre 2018 e 2027.

Entre os objetivos do programa está a substituição de mísseis Topol por Yars, bem como o fornecimento das tropas com aviões modernizados.

Além disso, o senador destacou que em 10 de janeiro deste ano, o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, confirmou que para 2021 a tríade nuclear russa contará com 90% de armas modernas.

Outro objetivo que deve ser alcançado consiste no desenvolvimento do armamento de alta precisão que no futuro permitirá passar da contenção nuclear para estratégia de defesa baseada em armas convencionais.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas