Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Novas incursões sauditas matam 5 civis iemenitas em Hudaydah

Pelo menos cinco civis foram mortos e vários outros ficaram feridos quando caças da Arábia Saudita realizaram uma série de ataques aéreos contra um bairro residencial na província costeira de Hudaydah, no Iêmen, enquanto o regime de Riad continua com sua campanha de bombardeio contra seu vizinho empobrecido.
Pars Today

Fontes locais, falando sob condição de anonimato, disseram à rede de televisão al-Masirah que aviões militares sauditas lançaram três ataques aéreos contra uma área no distrito de al-Hali, localizada a 150 quilômetros a sudoeste da capital Sana, na quinta-feira. tarde.


As fontes acrescentaram que cinco pessoas perderam a vida nos ataques, enquanto outras sofreram ferimentos.

Durante o dia, aviões de guerra sauditas atingiram o aeroporto de Sa'ada e a base militar de Kahlan, situada a 3 quilômetros a nordeste da cidade montanhosa do noroeste de Saada, com bombas de fragmentação.

Rússia elabora 'gorro prodigioso' para defender seus blindados

Engenheiros de Moscou criaram um novo meio de proteção para veículos blindados contra o impacto de bombas de fragmentação.


Sputnik

Os modernos carros de combate russos contam com bons meios de proteção contra projéteis antitanque de precisão. No entanto, os EUA e outras partes não signatárias da Convenção Internacional sobre Munições Cluster aumentam seu arsenal de bombas de fragmentação — outro grande desafio para o equipamento blindado.


Bumerang, o novo veíulo blindado russo (imagem ilustrativa)
Blindado russo Bumerang © Sputnik/ Mikhail Voskresensky

Nessa conexão, um grupo de engenheiros de Moscou elaborou um inovador escudo térmico, uma espécie de "gorro" que se instala sobre o compartimento do motor e a transmissão para decompor a assinatura infravermelha da maquinaria pesada. Esta tecnologia permite "enganar os sensores de calor", informa o jornal Izvestia.

O elemento principal é uma caixa desmontável, feita de asbesto ou cerâmica, instalada em tal maneira que o calor do motor é alegadamente produzido em outro lugar. Isso engana os sensores das bombas do inimigo quando estas tentam detetar seus alvos, fazendo-as atacar alvos falsos, situados em lugares mais afastados que o veículo blindado ou tanque reais.

O novo avanço é fruto de uma iniciativa da Escola Militar de Moscou e já foi sujeito a uma série de testes bem-sucedidos que confirmam sua eficiência contra bombas de fragmentação.

Ao mesmo tempo, seus criadores afirmam que sua fabricação não implica muitos gastos e que a sua produção em massa pode ser realizada pelos próprios batalhões de manutenção do Exército russo.


Postar um comentário