Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Rússia: EUA cautelosamente estão guardando armas de destruição em massa

Estados Unidos tentam preservar sua supremacia em termos de arsenal químico, tornando-se assim "o proprietário do maior arsenal de armamento químico", acreditam no Ministério das Relações Exteriores da Rússia.


Sputnik

EUA estão adiando o dia da destruição total do seu arsenal químico, declarou o vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Ryabkov.


Armas químicas no estado de Colorado, EUA
Armas químicas dos EUA © AP Photo/ Brennan Linsley

"Foram os EUA que naquele tempo contribuíram para marcar a Convenção sobre a Proibição de Armas Químicas, registrando um prazo razoavelmente ambicioso para a destruição total de armas químicas — até 2007. É evidente que não foi possível alcançar esse objetivo. No entanto, mais uma década já se passou", diz o comunicado do diplomata russo dedicado à reunião "Cooperação internacional para combater uso ilegal de armas químicas" realizada em Paris.

"A maioria dos países — principalmente nós [Rússia] — cumpriram suas obrigações", adiantou.

O vice-ministro também acrescentou que "apesar disso, eles [EUA] continuam cada vez mais adiando o prazo de destruição total do seu próprio arsenal químico".

Em sua opinião, "Washington continua sendo o dono do maior estoque de armas químicas do mundo — mais de 2,5 mil toneladas de armas com substâncias tóxicas das mais perigosas".

Assim, sublinhou que os "EUA estão cautelosamente guardando as armas de destruição em massa proibidas em outros países. É evidente que precisam delas por algum motivo".


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas