Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China: 'Relatório do Pentágono distorce nossas intenções estratégicas'

A China rejeita firmemente as conclusões do relatório do Departamento de Defesa dos EUA sobre a situação militar e de segurança no país asiático, disse em comunicado o porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Lu Kang.
Sputnik

"Em 17 de agosto, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos divulgou o relatório sobre a situação militar e de segurança na China, interpretando mal as intenções estratégicas da China e apresentando a chamada ‘ameaça militar chinesa' […] Os militares chineses expressam sua firme oposição a esse respeito", diz a declaração.

"As alegações do relatório dos EUA são pura especulação", disse Kang, explicando que o programa de modernização do Exército chinês se destina a defender "os interesses da soberania, segurança e desenvolvimento do país" e para "providenciar a paz, estabilidade e prosperidade globais".

O porta-voz do ministério chinês também reiterou a posição firme de seu país em relação a Taiwan, que ele definiu como u…

Segunda chance: nova versão do caça F-35 pode entrar em serviço do exército estadunidense

A nova versão do caça da 4ª geração estadunidense F-35 pode finalmente ser posto em serviço pela primeira vez em 2018, informa um portal militar do país.


Sputnik

Espera-se que o F-35B, versão do avião capaz de decolar e aterrissar verticalmente em navios de assalto anfíbios, venha a equipar as Unidades Expedicionárias do Corpo de Fuzileiros Navais do Comando do Pacífico e do Comando Central dos EUA em meados do ano corrente, assegura o portal Marine Corps Times.

Caça norte-americano da quinta geração F-35
F-35 Lightining II © AP Photo/ Ross D. Franklin

A estreia da aeronave ocorrerá no quadro da 31ª Unidade Expedicionária do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA, a bordo de um navio de assalto anfíbio, dado que depois o caça também será utilizado pela 13ª Unidade a bordo do navio Essex.

Washington planeja substituir completamente sua atual frota de aviões táticos, composta pelos F/A-18 Hornet, EA-6B Prowler e AV-8B Harrier, até o ano de 2032. No total, este ramo das Forças Armadas dos EUA planeja adquirir 353 aeronaves F-35B e 67 aviões F-35C, versão de caça, que possui ganchos de parada para a aterrisagem em porta-aviões.

O custo da compra e da construção dos F-35 já alcançou 379 milhões de dólares (mais de 1.200 milhões de reais) por um total de 2.443 aviões, a maioria dos quais será destinada à Força Aérea dos EUA. Desta maneira, o F-35 pode ser considerado como a aeronave mais cara da história, sendo que os custos podem aumentar ainda mais, considera o The Daily Mail.

Se tivermos em conta os custos de manutenção dos F-35 durante a vida útil das aeronaves (até 2070), se espera que os custos totais do programa aumentem para 1,5 bilhões de dólares (quase 5 bilhões de reais).

O programa tem enfrentado numerosos acidentes e fracassos. Os problemas vêm desde os erros de software, falhas técnicas e inclusive do sistema de ejeção defeituoso, que poderia por em perigo a vida dos próprios pilotos.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas