Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan diz que Turquia continuará operação na Síria, pactuada com Moscou

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta segunda-feira que seu país não interromperá sua operação militar lançada no sábado contra as milícias curdas aliadas dos Estados Unidos no norte da Síria e insistiu que esta operação está pactuada com a Rússia.
EFE

"Não vamos retroceder em Afrin. Falamos com os russos e há consenso", disse o político islamita em relação à região do norte da Síria nas mãos das milícias curdas Unidades de Proteção do Povo (YPG), que Ancara considera terroristas e aliadas da guerrilha curda da Turquia, o PKK.


Erdogan voltou a acusar os EUA de armar e apoiar as YPG, aliadas de Washington contra o grupo jihadista Estado Islâmico.

"Não são honestos conosco. Continuaremos o nosso caminho no marco das conversações que mantemos com a Rússia", apontou.

"Queríamos comprar armas (com os EUA). Não nos deram e entregaram as mesmas armas a organizações terroristas. Que tipo de aliança estratégica é essa?", afirmou o presidente da T…

Segunda chance: nova versão do caça F-35 pode entrar em serviço do exército estadunidense

A nova versão do caça da 4ª geração estadunidense F-35 pode finalmente ser posto em serviço pela primeira vez em 2018, informa um portal militar do país.


Sputnik

Espera-se que o F-35B, versão do avião capaz de decolar e aterrissar verticalmente em navios de assalto anfíbios, venha a equipar as Unidades Expedicionárias do Corpo de Fuzileiros Navais do Comando do Pacífico e do Comando Central dos EUA em meados do ano corrente, assegura o portal Marine Corps Times.

Caça norte-americano da quinta geração F-35
F-35 Lightining II © AP Photo/ Ross D. Franklin

A estreia da aeronave ocorrerá no quadro da 31ª Unidade Expedicionária do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA, a bordo de um navio de assalto anfíbio, dado que depois o caça também será utilizado pela 13ª Unidade a bordo do navio Essex.

Washington planeja substituir completamente sua atual frota de aviões táticos, composta pelos F/A-18 Hornet, EA-6B Prowler e AV-8B Harrier, até o ano de 2032. No total, este ramo das Forças Armadas dos EUA planeja adquirir 353 aeronaves F-35B e 67 aviões F-35C, versão de caça, que possui ganchos de parada para a aterrisagem em porta-aviões.

O custo da compra e da construção dos F-35 já alcançou 379 milhões de dólares (mais de 1.200 milhões de reais) por um total de 2.443 aviões, a maioria dos quais será destinada à Força Aérea dos EUA. Desta maneira, o F-35 pode ser considerado como a aeronave mais cara da história, sendo que os custos podem aumentar ainda mais, considera o The Daily Mail.

Se tivermos em conta os custos de manutenção dos F-35 durante a vida útil das aeronaves (até 2070), se espera que os custos totais do programa aumentem para 1,5 bilhões de dólares (quase 5 bilhões de reais).

O programa tem enfrentado numerosos acidentes e fracassos. Os problemas vêm desde os erros de software, falhas técnicas e inclusive do sistema de ejeção defeituoso, que poderia por em perigo a vida dos próprios pilotos.

Postar um comentário