Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Israel realiza novos bombardeios na Faixa de Gaza após queda de foguete

Aviação israelense atacou instalações subterrâneas em Gaza. Foguete disparado de Gaza caiu em cidade israelense sem causar vítimas.
France Presse

Aviões de guerra israelenses realizaram novos ataques na madrugada desta segunda-feira (19) na Faixa de Gaza, onde a tensão foi reduzida, mas sem dissipar todo o fantasma de um novo confronto.

A aviação israelense atacou instalações subterrâneas no sul do território do movimento palestino Hamas, afirmou em um comunicado.

Israel respondeu assim ao disparo de um foguete lançado no domingo à noite a partir da Faixa de Gaza - o segundo em 24 horas - e que caiu sem causar vítimas nas proximidades de Sderot, cidade israelense perto do enclave palestino.

O exército de Israel manteve sua política de resposta sistemática a qualquer intervenção hostil a partir dos territórios palestinos, onde travou três guerras contra o Hamas e grupos armados palestinos aliados desde 2008.

Israel usará "todos os meios à sua disposição" para garantir a segurança d…

Síria nega aviso da Turquia e condena ataque contra Afrin

O governo da Síria condenou a operação militar turca recentemente lançada no distrito de Afrin, no norte da Síria, disse o Ministério de Relações Exteriores sírio em um comunicado neste sábado.


Sputnik

No início do dia, o Estado-Maior turco declarou o início da operação denominada Ramo de Oliveira contra as forças curdas em Afrin.


Fumaça vista sobre a região de Afrin, na Síria, a partir de uma imagem feita da cidade turca de Hassa, na fronteira entre os dois países
Afrin, Síria © REUTERS/ Osman Orsal

"A República Árabe da Síria condena decisivamente a agressão turca contra a cidade de Afrin, que é uma parte inseparável da Síria", afirmou o comunicado, tal como citado pela agência de notícias síria SANA.

O ministério sírio acrescentou que o movimento do turco foi mais uma violação da soberania da Síria, que não foi avisada sobre a operação por Ancara.

"A Síria nega completamente as reivindicações do regime turco de que foi informado desta operação militar", disse uma fonte síria.

Em 20 de janeiro, o primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, disse que os jatos do país bombardearam posições dos partidos curdos YPG e PYD na cidade síria de Afrin.

"Dos 113 alvos designados do grupo terrorista sírio curdo da União Democrática (PYD), 108 foram destruídos a partir das 18:30 [15:30 GMT]. Todos os mortos e feridos, que foram enviados para hospitais, são membros de grupos terroristas", afirmou a declaração do Estado-Maior turco.

De acordo com a agência de notícias turca Anadolu, as aeronaves atingiram um posto de observação do PYD no distrito norte de Afriria, na Síria. Os jatos turcos F-16 realizaram greves em seis alvos em Afrin, enquanto as Forças Armadas lançaram bombardeios de artilharia da província de Kilis, na fronteira com a Síria, informou o jornal turco Hurriyet.

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, confirmou o início da operação militar em Afrin.

"A operação de Afrin foi de fato iniciada no terreno", disse Erdogan, acrescentando que "será seguida [por uma operação em] Manbij".

O Ministério de Relações Exteriores da Turquia disse que Ancara notificou por escrito a Damasco e as Nações Unidas sobre o progresso da ofensiva militar em Afrin.

"Estamos notificando o regime sírio, bem como todos os outros lados, incluindo as Nações Unidas, sobre a operação por escrito", disse Cavusoglu, citado pela emissora NTV.

A Turquia ameaçou lançar uma operação em Afrin desde a semana passada depois que os EUA anunciaram que começaria a treinar uma força de segurança da fronteira composta pelas Forças Democráticas da Síria (SDF), afiliada às Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG), que Ankara considerado um grupo terrorista.

A ação da Turquia aumenta a perspectiva de tensões mais profundas entre Ancara e Washington.


Postar um comentário