Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

Soldado norte-coreano que desertou em novembro cometeu assassinato, diz jornal

Autoridades sul-coreanas se negaram a comentar essa informação e indicaram que o interrogatório do soldado ainda não terminou.


France Presse


O militar norte-coreano que desertou em novembro e cruzou a fronteira com a Coreia do Sul sob disparos de seu próprio exército confessou ter cometido um assassinato no norte, informou um jornal sul-coreano.

Resultado de imagem para Vídeo mostra fuga de soldado norte-coreano para Coreia do Sul
Vídeo mostra fuga de soldado norte-coreano para Coreia do Sul

As autoridades sul-coreanas se negaram a comentar essa informação e indicaram que o interrogatório do soldado de 24 anos ainda não terminou.

Ele declarou às forças de segurança que havia cometido um assassinato na Coreia do Norte, segundo o jornal conservador "Dong-A Ilbo", que cita uma fonte não identificada dos serviços de inteligência.

A deserção do soldado norte-coreano em 13 de novembro através da Zona Desmilitarizada (DMZ) ganhou as primeiras páginas dos jornais locais.

No final de novembro, foram divulgadas imagens nas quais se via vários soldados norte-coreano perseguindo o desertor e disparando em várias ocasiões contra ele, deixando-o gravemente ferido.

Um dos militares chegou, inclusive, a cruzar brevemente a linha de demarcação militar (LDM) com a Coreia do Sul antes de de voltar para seu lado. O Comando das Nações Unidas na Coreia (UNC) classificou esse ato de violação do acordo de armistício de 1953.

As duas Coreias, que seguem tecnicamente em guerra, não têm acordo de extradição.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas