Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Su-57 russo supera caças de 5ª geração F-22 e F-35 dos EUA, diz piloto militar

O uso de caças F-22 pela Força Aérea dos EUA na Síria privou este modelo de suas vantagens sobre aeronaves russas, segundo a mídia norte-americana. Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, um piloto militar russo comentou a situação.
Sputnik

A utilização de caças norte-americanos F-22 na Síria privou os EUA das vantagens destes caças em relação aos caças russos, escreveu o jornal Military Watch. Segundo Veralinn Jamieson, tenente-general da Força Aérea dos EUA, os céus do Iraque e da Síria se tornaram "armazém de informações" para russos sobre atuação de caças estadunidenses durante operações.

Segundo o autor do artigo, os russos tiveram bastante tempo para analisar e testar a tecnologia de furtividade dos F-22, além de terem coletado dados sobre o uso da aeronave e encontrado meios de combatê-la. Além disso, a Rússia poderá usar essas tecnologias na fabricação de suas aeronaves.

O artigo enfatiza que os radares dos sistemas de mísseis antiaéreos S-300 e S-400 da Rússia …

Turquia desmente conteúdo do diálogo entre Trump e Erdogan divulgado pela Casa Branca

As autoridades turcas afirmaram que Trump não se mostrou preocupado com a "escalada da violência em Afrin", nem comentou o estado de emergência declarado por Ancara há mais de um ano.


Sputnik

As autoridades da Turquia contestaram a veracidade do comunicado da Casa Branca, que divulgou o conteúdo da última conversa telegônica mantida nesta quarta-feira entre o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, e o presidente dos EUA, Donald Trump, informou a agência Anadolu.


O presidente dos EUA, Donald Trump, conversa com o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, na chegada entrada da Ala Oeste da Casa Branca, em Washington, EUA, em 16 de maio de 2017.
Donald Trump e Recep Tayyip Erdogan © REUTERS/ Joshua Roberts

Em seus desmentido, Ancara afirmou que Trump não expressou preocupação com "a escalada da violência em Afrin [na Síria], nem comentou o "estado de emergência na Turqia", declarado há mais de um ano, após a tentativa de golpe de estado contra o governo de Erdogan.

Em seu comunicado, a Casa Branca disse que Trump pediu por "cautela" e solicitou que as autoridades turcas "limitassem suas atividades militares em Afrin, para "evitar mortes de civis e um aumento no número de pessoas deslocadas e refugiadas".

Além disso, o texto da Casa Branca afirmou que o presidente norte-americano se mostrou preocupado com a "detenção de cidadãos e funcionários públicos locais, no âmbito do prolongado estado de emergência em vigor na Turquia".


Postar um comentário