Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Ataques da coalizão internacional matam 100 militares das tropas governamentais sírias

Aproximadamente uma centena de militares das forças governamentais sírias morreu durante ataques aéreos realizados pela coalização internacional liderada pelos EUA.


Sputnik

A informação foi divulgada pelo canal de televisão ABC que cita uma fonte local.


Consequências do ataque aéreo da coalizão internacional
Bombardeio da coalizão dos EUA na Síria © AP Photo/ Osama Sami

Na noite de 7 para 8 de fevereiro, as forças pró-governo sírias iniciaram um "ataque não provocado" contra o Estado-Maior General das Forças Democráticas da Síria (SDF). De acordo com o comunicado, a coalizão efetuou ataques "para repelir atos de agressão em relação aos parceiros que estão lutando contra os terroristas do Daesh [organização terrorista proibida na Rússia]".

Segundo comunicou um funcionário estadunidense que preferiu não se identificar, os ataques aéreos e de artilharia foram dedicados para repelir a ofensiva. Em suas palavras, o ataque contra o Estado-Maior da SDF, localizado ao norte do rio Eufrates, foi bem organizado. Além da artilharia, a coalizão também usou tanques T-54 e T-72.

Ademais, o funcionário reportou que a coalizão usou linhas telefônicas diretas para informar os militares russos sobre ataques aéreos na área.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas