Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Oficial americano joga culpa para Israel pelo ataque às forças sírias

No domingo (17), a mídia síria relatou ataque ao povoado sírio Al-Harra, província de Deir ez-Zor, na fronteira com o Iraque, supostamente realizado pela coalizão internacional, liderada pelos EUA, tendo como alvo forças governamentais. Porém, um oficial americano culpou Israel pelo ataque.
Sputnik

Anteriormente, uma fonte militar relatou à mídia síria que drones "provavelmente americanos" bombardearam Al-Harra, entre Abu Kamal e Al-Tanf.

Segundo dados das Forças de Mobilização Popular iraquianas, o ataque matou 22 soldados iraquianos. O Observatório Sírio de Direitos Humanos, por sua vez, disse que o número total de vítimas corresponde a 52 pessoas, citado pelo Haaretz.

"Entre [os mortos] estão ao menos 30 militares iraquianos e 16 sírios, incluindo soldados e membros da milícia leal ao governo", afirmou à mídia o chefe do Observatório Sírio, Rami Abdel Rahman.

Comentando a notícia, o porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, Adrian Rankine-Galloway, descartou que W…

Bombardeios de aviões dos EUA matam 24 civis na Síria

Aviões da Coalizão Internacional, dirigida pelos Estados Unidos, cometeram hoje um novo massacre contra a população síria, com seus bombardeios a localidades na província de Deir Ezzor, ao norte, que causaram 24 civis mortos e dezenas de feridos.


Prensa Latina


Damasco - Fontes civis informaram que os prolongados ataques das invasoras tropas ocidentais contra concentrações de deslocados ocorreram na localidade de Dahret Elwani, no campo leste da província de Deir Ezzor.

F-15 da USAF | Reprodução

A cifra de mortos pode aumentar na medida que numerosos feridos que recebem atenção hospitalar se encontram em estado grave, precisaram as fontes.

Como consequência das agressões aéreas da Coalizão, na última segunda-feira 29 civis morreram nos povoados de Al-Shaafah e Dahret Alouni, no próprio território de Deir Ezzor, a cerca de 460 quilômetros ao norte de Damasco.

Anteriormente, no dia 20 deste mês, outros 16 moradores morreram em um semelhante massacre cometido pela Coalizão contra o povoado de Bahra, no campo oriental de Deir Ezzor.

Diante dos abusos cometidos pela aviação estadunidense contra a população civil síria, incluindo crianças e mulheres, com seus frequentes bombardeios, as autoridades de Damasco reiteraram ontem sua denúncia por esses crimes contra a Coalizão.

Em cartas enviadas à secretaria das Nações Unidas e seu Conselho de Segurança, a chancelaria síria exigiu que esse organismo mundial condene e impeça os violadores ataques da aviação de guerra da aliança internacional, que entrou e permanece de forma ilegal no território sírio desde 2015, o qual viola a soberania deste país árabe.

O governo sírio exigiu reiteradamente também que os mais de dois mil soldados dos Estados Unidos infiltrados no norte do país e na base militar norte-americana de Al-Tanf, ao sul, abandonem este território árabe.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas