Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

VÍDEO mostra fragata norueguesa afundando, tendo colidido após manobras da OTAN

A mídia divulgou novos vídeo e fotos da fragata norueguesa KMN Helge Ingstad, que colidiu com o navio petroleiro Sola TS junto à costa norueguesa em circunstâncias desconhecidas ao regressar das manobras da OTAN.
Sputnik

A fragata ficou com um grande rombo a estibordo atravessando a linha de água, sete marinheiros ficaram feridos. A tripulação abandonou o navio acidentado, que depois foi rebocado para águas menos profundas para evitar seu afundamento total.


Uns dias após o acidente (8), a fragata continua parcialmente acima da superfície da água, mas está completamente assente no fundo. Mais de 10 toneladas de combustível para helicópteros vazou para o mar.

Até o momento, não há nenhumas informações sobre o estado do armamento a bordo, incluindo mísseis de cruzeiro e antiaéreos, torpedos e artilharia.

O petroleiro Sola TS, por sua parte, não sofreu nenhum dano durante a colisão.

As razões do incidente estão sendo investigadas. Entre as possíveis causas estão a navegação da fragata em reg…

Brigada dos Falcões Curdos se junta à operação turca em Afrin

Segundo a mídia turca, a denominada Brigada dos Falcões Curdos, unidade da Divisão Hamza do Exército Livre da Síria (ELS), se juntou à operação Ramo de Oliveira que a Turquia está conduzindo em Afrin, no noroeste da Síria.


Sputnik

"Os combatentes da brigada se instalaram em Afrin em 26 de fevereiro", disse o comandante Hassan Abdullah Kulli, citado pela agência Anadolu. "Se Deus quiser, libertaremos o nosso povo de Afrin da opressão do PKK", acrescentou o militar, se referindo ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão, considerado pela Turquia como uma organização terrorista.


Combatente do Exército Livre Sírio (foto de arquivo)
Combatente do Exército Livre da Síria © AFP 2018/ BARAA AL-HALABI

A brigada é composta por 400 combatentes curdos de Azaz e 200 árabes que prestaram assistência aos militares turcos na ofensiva contra Afrin.

No último dia 20 de janeiro, a Turquia e seus aliados do Exército Livre da Síria lançaram a operação Ramo de Oliveira, direcionada contra grupos jihadistas e as milícias curdas que controlam a região de Afrin, ao noroeste de Aleppo.

O Partido da União Democrática Curda (PYD) e seu braço armado, as Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG), são tratados como organizações terroristas pela Turquia por terem conexão com o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), proibido de atuar no país; os combatentes das YPG recebem o mesmo tratamento que os militantes do autodenominado Estado Islâmico, Daesh, a rede islamista considerada terrorista pelo Conselho de Segurança da OTAN e proscrita em vários países, incluindo a Rússia.

Segundo dados do Estado-Maior turco, desde o início da operação foram neutralizados um total de "2.059 terroristas do PYD, YPG e Daesh". O exército turco sofreu 33 baixas e mais de 150 feridos.

Damasco condenou a intervenção turca, enfatizando que Afrin é parte inalienável do território sírio.

A Rússia, por sua vez, apelou a todas as partes a mostrarem moderação e respeito pela integridade territorial da Síria.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas