Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan: exército sírio parou de avançar para Afrin

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou que as tropas do governo sírio deixaram de avançar para a cidade de Afrin "após consultas", realizadas pelo líder turco nesta segunda-feira.
Sputnik

As tropas do governo sírio "foram realmente detidas ontem (segunda-feira)", afirmou Erdogan, segundo a agência de notícias Anadolu. Segundo o chefe de Estado, isso aconteceu "após consultas". No entanto, Erdogan não especificou à que consultas estaria se referindo.


Nesta segunda-feira, o líder turco discutiu a situação em Afrin durante conversa telefônica com seus homólogos russo e iraniano, Vladimir Putin e Hassan Rouhani.

Erdogan também afirmou que as milícias pró-governo que tentaram entrar em Afrin nesta terça-feira, e que foram repelidas pelas tropas turcas, o fizeram por iniciativa própria.

"A milícia síria decidiu entrar em Afrin por conta própria. Isso é inaceitável e não ficará sem resposta", alertou Erdogan.

Anteriormente, a imprensa infor…

Caça F-16 israelense é derrubado durante operação contra alvos iranianos na Síria

Operação começou após drone iraniano lançado de território sírio invadir espaço aéreo de Israel


Por G1


O governo de Israel anunciou neste sábado (10) que lançou ataques aéreos contra alvos iranianos e sírios, enquanto o exército da Síria afirmou ter atingido um caça F-16 de Israel, em mais uma expressiva escalada de tensão na região.

Forças de segurança israelenses examinam restos de um caça F-16 perto da vila de Harduf, em Israel  (Foto: Ronen Zvulun/Reuters)
Forças de segurança israelenses examinam restos de um caça F-16 perto da vila de Harduf, em Israel (Foto: Ronen Zvulun/Reuters)

“As Forças de Defesa de Israel atacaram alvos de controle iraniano na Síria que haviam enviado um drone ao espaço aéreo israelense”, informou no Twitter o tenente Jonathan Conricus, porta-voz das Forças Aéreas Israelenses. “Disparos antiaéreos intensos, um F-16 caiu em Israel, os pilotos estão sãos e salvos”, escreveu.

De acordo com autoridades israelenses, jatos foram enviados para a Síria depois que um drone iraniano foi detectado no espaço aéreo israelense - em uma violação da soberania do país.

Durante o ataque, as baterias antimísseis dispararam contra aeronaves de Israel, ativando os alarmes antiaéreos nas ocupadas Colinas de Golã, pela segunda vez neste sábado.

A polícia informou que a aeronave caiu na região do Vale de Jezreel, ao leste da cidade de Haifa, norte de Israel. As circunstâncias da queda ainda não estão claras.

"Durante o ataque, vários mísseis antiaéreos foram disparados contra o avião israelense. O piloto de um dos aviões o abandonou, segundo o procedimento. Caiu em território israelense e foi levado ao hospital para receber tratamento médico. O incidente está sendo investigado", acrescentou nota do Exército de Israel.

De acordo com o Observatório Sírio de Direitos Humanos, o ataque israelense teve como alvo o aeroporto de Al Taifur, na província de Homs, ao sudoeste de Damasco e perto da fronteira sírio-libanesa.

A ONG detalhou que no aeroporto de Al Taifur se concentram forças do regime sírio, iranianas e do grupo libanês Hezbollah.

A agência oficial síria Sana afirmou que os sistemas de defesa antiaérea repeliram dois ataques contra posições militares e que atingiram "mais de um avião".

'Brincando com fogo'

Israel aumentou seus ataques contra alvos iranianos na Síria no último ano, segundo a organização internacional Crise Group, que alerta para o aumento da escalada na fronteira norte.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, reiterou sua preocupação com o aumento das forças pró-iranianas na Síria que combatem ao lado do presidente Bashar al-Assad e assegura que não permitirá que se posicionem perto da divisa.

Após o ataque deste sábado, Israel disse que não busca uma escalada, mas alertou que Irã e Síria "brincam com fogo" e que está preparado para qualquer eventualidade.

"Não buscamos uma escalada, mas estamos preparados para diferentes possibilidades", disse o porta-voz do Exército.

'Mentiras'

A aliança militar que apoia Assad acusou Israel de mentir a respeito da entrada do drone iraniano em seu espaço aéreo, e ameaçou subir o tom após o que chamou de "terrorismo".

Em comunicado, a aliança afirma que Israel atacou uma base de drones no centro da Síria, e que os equipamentos haviam saído da base aérea T4 para operações de rotina contra o Estado Islâmico no deserto da Síria.

"Quando a base foi atacada nossa aeronave ainda sobrevoava a cidade de Sokhna, com direção do deserto", afirmou o grupo, que prometeu uma resposta "séria e severa" a Israel.

De acordo com a imprensa iraniana, autoridades do país se negaram a comentar o incidente.

Postar um comentário