Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Chefe da ONU diz que é essencial evitar escalada de tensões no Irã

O chefe da Organização das Nações Unidas (ONU), Antonio Guterres, alertou neste domingo que é essencial evitar “qualquer forma de escalada” das tensões no Golfo, em meio a temores de um conflito após a derrubada de um drone norte-americano pelo Irã na semana passada.
Por Catarina Demony | Reuters

LISBOA (Reuters) - “O mundo não pode permitir um grande confronto no Golfo”, disse Guterres, nos bastidores da Conferência Mundial de Ministros Responsáveis pela Juventude, em Lisboa . “Todos devem manter nervos de aço.”

Na quinta-feira, um míssil iraniano destruiu um drone de vigilância dos EUA, em um incidente que o governo norte-americano disse que aconteceu no espaço aéreo internacional.

Trump disse mais tarde que ordenou o cancelamento de um ataque militar em retaliação pela ação que poderia ter resultado em 150 mortes.

Teerã repetiu no sábado que o drone foi abatido sobre seu território e disse que responderia com firmeza a qualquer ameaça dos EUA.

Os comentários de Guterres vêm um dia depois…

Chefe da OTAN: 'não queremos Guerra Fria ou corrida armamentista com a Rússia'

A OTAN não pretende enfrentar uma Guerra Fria ou uma corrida armamentista com a Rússia e ainda espera melhorar as relações com Moscou, disse o secretário-geral da aliança, Jens Stoltenberg.


Sputnik

"A OTAN é uma aliança defensiva, tudo o que fazemos é proporcional e ponderado. Após a Guerra Fria, os aliados reduziram os gastos e o potencial militar e tentaram por anos estabelecer uma colaboração com a Rússia", disse Stoltenberg.


Jens Stoltenberg, secretário-geral da OTAN
Jens Stoltenberg, secretário-geral da OTAN © REUTERS/ Francois Lenoir

A avaliação foi feita em resposta a uma questão de jornalistas sobre como a organização reage às acusações de provocar uma nova corrida de armamentos.

O chefe da OTAN novamente acusou a Rússia pelo que ele considera uma anexação ilegal da Crimeia e a desestabilização do leste da Ucrânia.

"Em resposta, tomamos medidas defensivas e proporcionadas, aumentando a presença militar no flanco leste da aliança, mas ao mesmo tempo procuramos melhorar as relações com a Rússia. Não queremos uma nova Guerra Fria ou uma corrida armamentista", disse Stoltenberg.

Ele afirmou que a abordagem da OTAN em relação à Rússia combina defesa e diálogo.

"Temos de ser firmes, previsíveis, mas ao mesmo tempo trabalharemos para melhorar as relações e o diálogo com a Rússia", afirmou.

A Rússia repetidamente rejeitou as acusações de estar envolvida na crise no leste da Ucrânia e sublinhou que é um conflito interno ucraniano do qual não faz parte.

No que diz respeito à reunificação da Crimeia com a Rússia no âmbito do referendo de 2014, a Chancelaria russa declarou que respeita e aceita a decisão da população local, que manifestou de forma democrática e em plena conformidade com o direito internacional e a Carta da ONU a sua vontade de se juntar ao território russo, uma opção que reuniu mais de 96% dos votos nesta consulta.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas