Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Super Tucano em teste pela Força Aérea dos EUA sofre acidente

Queda sem causa ainda definida é má notícia para a fabricante brasileira, que disputa concorrência com americanos
Igor Gielow | Folha de S.Paulo

Um turboélice A-29 Super Tucano, fabricado pela Embraer, caiu durante um exercício de ataque leve conduzido pela Força Aérea dos EUA em um campo de provas do Novo México, na sexta (22).

Dois tripulantes conseguiram se ejetar. Segundo comunicado da base de Holloman, um dele se feriu levemente e foi medicado, enquanto não há detalhes do estado do segundo. A causa do acidente não foi divulgada.

O avião participa da fase final da competição para fornecimento de aviões leves para missões de ataque a solo e reconhecimento. Inicialmente, os EUA querem adquirir 15 unidades, para depois expandir a até 120. Elas servirão para substituir o famoso A-10 Warthog (Javali, em inglês), um modelos subsônico a jato fortemente armado e blindado que opera desde 1977.

Os americanos estão procurando opções mais econômicas para a missão. Enquanto um A-10 tem sua hora-voo…

'China prepara ataque surpresa em Taiwan para desafiar os EUA'

O coronel aposentado da Marinha dos Estados Unidos, Mark Cancian, confirmou a possibilidade de a China lançar um ataque a Taiwan, revelando os supostos métodos que Pequim adotaria a este respeito, desafiando os Estados Unidos, de acordo com um novo relatório.


Pars Today 

"A China lançaria um ataque surpresa contra Taiwan para evitar uma possível declaração de independência. Mas não ataca forças dos EUA no Pacífico ", disse Cancian através de um relatório publicado na quinta-feira.



No relatório intitulado “Lidar com Surpresa em Grandes Conflitos de Energia”, em inglês, e preparado para o Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais (CSIS), Cancian diz que, em seu plano de ataque, a China não enfrentaria muita dificuldade, porque "os EUA decidiria não lançar uma contra-ofensiva "e outros aliados regionais dele" declarariam a neutralidade”.

O relatório, da mesma forma, descreve como a China poderia abrir caminho para um ataque a Taiwan, semeando o caos em seu principal aliado, os EUA.

No âmbito de um possível cenário, a China recorreria ao ataque cibernético "Assassin's Mace" para "distrair as forças dos EUA". Pequim, que até agora se absteve de usar a força militar para reunificar a ilha, ameaçou em dezembro passado invadir a Taiwan em resposta ao ato dos EUA de armar a ilha.

Laços militares e não-militares entre Taiwan e os EUA.

Eles já foram criticados e rejeitados pela China, que prometeu recuperar o controle total da área até 2020. A China afirma que Taiwan é parte de seu território, embora desde 1949, e que os taiwaneses poderiam governar como uma nação com seus ministros e políticas nacionais e estrangeiras, independentemente de Pequim.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas