Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Exército sírio bombardeia terroristas restantes no sul do país (VIDEO)

O exército sírio retomou os ataques de artilharia maciços contra os terroristas restantes na região de Tulul al Safa no deserto de As-Suwayda, no sul do país, depois de eles terem violado a trégua, segundo uma fonte do Exército.
Sputnik

De acordo com uma fonte que falou com a Sputnik Árabe, na terça-feira (16), o Exército sírio e os terroristas que ocupam as colinas de Tulul al Safa firmaram um acordo de cessar-fogo, segundo o qual os combatentes da Frente al-Nusra (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) se comprometeram a entregar as armas depois de serem cercados e sem saída.


Contudo, na manhã da quarta-feira (17) os terroristas atacaram as unidades do Exército sírio. Por sua vez, os soldados repeliram o ataque com êxito e contra-atacaram. Como resultado, dezenas de militantes foram mortos ou feridos. O Exército resolveu retomar os ataques maciços com peças de artilharia apoiadas do ar, tendo como objetivo eliminar as forças terroristas restantes até a épo…

Coalizão liderada pelos EUA ataca forças pró-governo na Síria

A coalizão antiterrorista liderada pelos EUA declarou ter efetuado um golpe de resposta contra os militares sírios após as forças militares pró-governo terem atingido o Estado-Maior General das Forças Democráticas da Síria (SDF na sigla em inglês) onde se encontravam conselheiros norte-americanos.


Sputnik

"As forças pró-governo sírias iniciaram um ataque não provocado contra o Estado-Maior General das Forças Democráticas da Síria em 7 de fevereiro. Os militares da coalizão se encontravam na qualidade de conselheiros, assistentes e forças acompanhantes junto com os parceiros das SDF durante o ataque, à distância de oito quilômetros a leste da linha acordada de prevenção de conflitos no rio Eufrates", diz-se na declaração do comando.


Caça F-15E Strike Eagle da Força Aérea norte-americana
F-15 Eagle dos EUA © REUTERS/ Força Aérea dos EU

"Para proteção das forças da coalizão e parceiros, a coalizão efetuou golpes contra os atacantes para repelir o ato de agressão em relação aos parceiros que participam da luta contra o Daesh [organização terrorista proibida na Rússia]", notam os militares.

Não há informação sobre os feridos na sequência do acidente. A coalizão sublinha que o objetivo principal de sua presença na Síria é a luta contra o Daesh, mas deixa para si o direito de autodefesa.

Damasco oficial ainda não comentou a declaração.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas