Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Jornal alemão iguala Bundeswehr à 'armazém de peças de reposição'

Bundeswehr (Forças Armadas da Alemanha) está em profunda crise, enfrentando uma grave falta de investimento, noticia o Suddeutsche Zeitung.
Sputnik

Segundo o jornal, 20% dos candidatos a cargos oficiais abandonam o serviço nos primeiros seis meses e a seleção de 8.500 voluntários previstos no plano para o serviço militar vem enfrentando mais e mais dificuldades com o passar dos anos.

Na lista dos problemas, a maior preocupação corresponde ao financiamento do exército alemão. Segundo a publicação, o orçamento da defesa para 2018, no valor de 38,5 bilhões de euros (R$ 170,9 bilhões) parece suficiente apenas à primeira vista — o exército não tem dinheiro suficiente. Metade do orçamento é usada para suprir as necessidades dos oficiais, uns 18% são destinados aos custos operacionais e apenas 13% do orçamento é investido nas compras de defesa.

Em particular, a publicação observa uma redução acentuada no número de tanques de 4.500 no final da Guerra Fria para 225 unidades. O dinheiro investido é…

Coalizão liderada pelos EUA ataca forças pró-governo na Síria

A coalizão antiterrorista liderada pelos EUA declarou ter efetuado um golpe de resposta contra os militares sírios após as forças militares pró-governo terem atingido o Estado-Maior General das Forças Democráticas da Síria (SDF na sigla em inglês) onde se encontravam conselheiros norte-americanos.


Sputnik

"As forças pró-governo sírias iniciaram um ataque não provocado contra o Estado-Maior General das Forças Democráticas da Síria em 7 de fevereiro. Os militares da coalizão se encontravam na qualidade de conselheiros, assistentes e forças acompanhantes junto com os parceiros das SDF durante o ataque, à distância de oito quilômetros a leste da linha acordada de prevenção de conflitos no rio Eufrates", diz-se na declaração do comando.


Caça F-15E Strike Eagle da Força Aérea norte-americana
F-15 Eagle dos EUA © REUTERS/ Força Aérea dos EU

"Para proteção das forças da coalizão e parceiros, a coalizão efetuou golpes contra os atacantes para repelir o ato de agressão em relação aos parceiros que participam da luta contra o Daesh [organização terrorista proibida na Rússia]", notam os militares.

Não há informação sobre os feridos na sequência do acidente. A coalizão sublinha que o objetivo principal de sua presença na Síria é a luta contra o Daesh, mas deixa para si o direito de autodefesa.

Damasco oficial ainda não comentou a declaração.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas