Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Crise migratória: Brasil vai enviar mais soldados para a fronteira com a Venezuela

O governo brasileiro vai declarar uma emergência em Roraima, Estado que faz fronteira com a Venezuela, a fim de aumentar o financiamento e as tropas militares e ajudar a controlar o influxo de refugiados venezuelanos no país.


Sputnik

A informação foi anunciada nesta quarta-feira pelo ministro da Defesa, Raul Jungmann, menos de uma semana dele próprio, acompanhado de outros ministros, ter visitado o Estado.


Soldados do Exército Brasileiro
Militares do Exército Brasileiro | Valter Campanato/ Agência Brasil

Milhares de venezuelanos que fogem da crise econômica no país andino atravessaram a fronteira com o Brasil nos últimos meses. O governo local disse que as chegadas venezuelanas representam 10% da população da capital da Roraima, Boa Vista, ou cerca de 40 mil pessoas, sobrecarregando os serviços públicos.

De acordo com Jungmann, as Forças Armadas brasileiras duplicarão o número de tropas em Roraima, e criarão ainda um hospital de campanha e um centro de seleção para venezuelanos.

Na última segunda-feira, o presidente brasileiro Michel Temer (MDB) viajou para Boa Vista para reuniões com autoridades locais para avaliar a situação. Ele anunciou a formação de um gabinete para o tema e prometeu recursos para Roraima lidar com o assunto.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas