Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: presidente ucraniano mata sua indústria ao introduzir novas sanções contra Rússia

O presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, assinou um decreto sobre as sanções contra a Rússia adotadas pelo Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia. O especialista Eduard Popov falou com a Sputnik e indicou qual o principal objetivo perseguido pelo governo ucraniano com tal iniciativa.
Sputnik

Em 2 de maio, o Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia ampliou as medidas restritivas em relação a diversas pessoas físicas e jurídicas russas, bem como prolongou a vigência das sanções introduzidas anteriormente.

Segundo informou a assessoria de imprensa da entidade, as sanções são aplicadas a pessoas "relacionadas com a agressão no ciberespaço e no campo informacional" contra a Ucrânia, "ações criminosas" contra os cidadãos ucranianos detidos na Rússia, bem como aos deputados da Duma de Estado e do Conselho da Federação da Rússia.

O diretor do Centro de Cooperação Pública e Informativa "Europa", Eduardo Popov, disse ao serviço russo da Rádio Sp…

Crise migratória: Brasil vai enviar mais soldados para a fronteira com a Venezuela

O governo brasileiro vai declarar uma emergência em Roraima, Estado que faz fronteira com a Venezuela, a fim de aumentar o financiamento e as tropas militares e ajudar a controlar o influxo de refugiados venezuelanos no país.


Sputnik

A informação foi anunciada nesta quarta-feira pelo ministro da Defesa, Raul Jungmann, menos de uma semana dele próprio, acompanhado de outros ministros, ter visitado o Estado.


Soldados do Exército Brasileiro
Militares do Exército Brasileiro | Valter Campanato/ Agência Brasil

Milhares de venezuelanos que fogem da crise econômica no país andino atravessaram a fronteira com o Brasil nos últimos meses. O governo local disse que as chegadas venezuelanas representam 10% da população da capital da Roraima, Boa Vista, ou cerca de 40 mil pessoas, sobrecarregando os serviços públicos.

De acordo com Jungmann, as Forças Armadas brasileiras duplicarão o número de tropas em Roraima, e criarão ainda um hospital de campanha e um centro de seleção para venezuelanos.

Na última segunda-feira, o presidente brasileiro Michel Temer (MDB) viajou para Boa Vista para reuniões com autoridades locais para avaliar a situação. Ele anunciou a formação de um gabinete para o tema e prometeu recursos para Roraima lidar com o assunto.


Postar um comentário