Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia adverte exército sírio contra entrada em Manbij

O comunicado foi divulgado poucos dias depois de pelo menos quatro soldados americanos terem sido mortos em um atentado suicida na cidade de Manbij, no norte da Síria, cuja responsabilidade foi assumida pelo Daesh (grupo terrorista proibido em Rússia e em vários outros países).
Sputnik

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores turco, Hami Aksoy, alertou as Forças Armadas do governo sírio para que não tentassem entrar na cidade de Manbij, localizada no norte da Síria.


"Às Unidades de Proteção Popular curdas na Síria (YPG) não deveria ser permitido deixar que as forças do regime [do presidente sírio Bashar Assad] entrem em Manbij", disse Aksoy em uma entrevista coletiva na sexta-feira (18). Ele também destacou que "a retirada das tropas norte-americanas da Síria não deveria ajudar os terroristas das YPG e do Partido de União Democrática curdo (PYD)".

As declarações foram feitas depois que nesta quarta-feira (16) na cidade síria de Manbij ocorreu uma explosão em u…

Crise sem fim: Palestina pode romper todos os laços com Israel, revela documento

O Comitê Executivo da Organização de Libertação da Palestina (OLP) pediu às autoridades palestinas para romper os laços com Israel em todos os níveis, incluindo segurança e política, disse o comitê em um comunicado obtido pela Sputnik.


Sputnik

O comitê instou as autoridades palestinas a "começar imediatamente a preparar planos e projetos destinados a cortar os laços com as autoridades israelenses no plano da política, da governança, da economia e da segurança", afirma o comunicado.


Bandeiras de Israel e da Palestina
Bandeiras de Israel e da Palestina © AP Photo/

Além disso, o Comitê Executivo da OLP decidiu "se referir ao Conselho de Segurança da ONU, à Assembleia Geral e ao Tribunal Penal Internacional [ICC], pedindo-lhes que se recusem a reconhecer o Estado de Israel até renunciar ao reconhecimento de Jerusalém como sua capital".

De acordo com a declaração, a OLP está planejando se dirigir ao ICC com um pedido "para iniciar uma investigação sobre assentamentos israelenses, discriminação racial e uma limpeza étnica em Jerusalém e seus arredores que estão sendo silenciados".

A declaração vem às vésperas de uma reunião relatada entre o Ministro das Finanças israelense Moshe Kahlon e o primeiro-ministro palestino, Rami Hamdallah, na próxima semana.

Em 6 de dezembro, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou sua decisão de reconhecer Jerusalém como a capital de Israel e instruiu o Departamento de Estado dos EUA a lançar o processo de mudança da embaixada dos EUA, atualmente localizada em Tel Aviv, para Jerusalém.

O passo estadunidense provocou críticas de vários países – incluindo o de aliados de Washington – e desencadeou uma onda de protestos na região.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas