Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O Brasil tem poder de fogo para proteger a riqueza da Amazônia Azul? (VÍDEO)

Devido à enorme riqueza natural, a porção de mar sob jurisdição brasileira é também conhecida como Amazônia Azul. A área é um dos mais importantes patrimônios naturais brasileiros e é uma preocupação para o setor de Defesa. Para comentar o assunto, a Sputnik Brasil ouviu Ricardo Cabral, pesquisador da Escola de Guerra Naval da Marinha do Brasil.
Sputnik

O pesquisador falou sobre a importância comercial e estratégica, o potencial energético, científico e as obrigações internacionais do Brasil com as áreas da Amazônia Azule seu entorno. Ele também descreveu o atual estado da esquadra da Marinha brasileira, que carece de investimentos e pleiteia junto ao novo governo federal uma fatia maior do orçamento público, limitado pela Emenda Constitucional nº 95.


Foi a própria Marinha brasileira que cunhou o termo "Amazônia Azul", em referência ao tamanho da biodiversidade e dos bens naturais encontradas em sua área. No entanto, a área marítima é ainda maior do que porção brasileira da flo…

Denunciam cooptação ilegal de venezuelanos por exército da Colômbia

O ministro de Relações Interiores, Justiça e Paz da Venezuela, Néstor Reverol, denunciou hoje o recrutamento ilegal de venezuelanos pelo exército da Colômbia para gerar desestabilização na fronteira e justificar uma intervenção militar.


Prensa Latina


Caracas - Em declarações à Venezuelana de Televisão, Reverol explicou que o recrutamento parte de um plano impulsionado a partir da Colômbia para criar 'falsos positivos' como alertou o presidente Nicolás Maduro.

Resultado de imagem para nestor reverol ministro
Néstor Reverol | Reprodução

Até o momento, 150 venezuelanos aproximadamente já cumpriram o período básico de treinamento militar nas tropas do país vizinho, indicou.

Reverol qualificou de grave que também facilitem aos recrutados de maneira rápida documentos de identidade colombiana, para depois incorporá-los imediatamente ao serviço militar obrigatório.

Destacou que estas ações podem servir para falsos positivos pelo governo da Casa Nariño, e assim poder justificar uma agressão à Venezuela.

Advertiu que se pretende criar forças paramilitares altamente doutrinadas, 'com capacidade de se mobilizar livremente em território venezuelano e realizar operações nas quais se construam casos de suposta infiltração de militares venezuelanos nas fileiras das forças armadas colombianas'.

O ministro acrescentou que as unidades militares da Colômbia efetuam a cooptação na zona norte de Santander, que conta com a presença de grupos geradores de violência, como paramilitares e facções criminosas, e que recrutam homens e mulheres com experiência militar, sublinhou.

Informou que o presidente venezuelano instruiu ao ministro para a Defesa, Vladimir Padrino, se comunicar com seu homólogo colombiano, Luis Villegas, para coordenar mecanismos de comunicação permanente e viabilizar os detalhes e informações relacionadas com esta denúncia.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas