Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Israel prende o governador palestino de Jerusalém

Motivo da detenção foram crimes cometidos na Cisjordânia ocupada, segundo a Organização para a Libertação da Palestina.
France Presse

Israel prendeu o governador palestino de Jerusalém por crimes que teria cometido na Cisjordânia ocupada, que não foram especificados, informou a Organização para a Libertação da Palestina (OLP).

O governador Adnan Gheith foi detido no sábado (20) à noite no bairro palestino de Beit Hanina, em Jerusalém Oriental, ocupada e anexada por Israel. Será apresentado a um tribunal dentro de quatro dias, afirma a OLP em um comunicado.

Para o dirigente da OLP Saeb Erakat, a detenção é "um novo passo contra a presença palestina em Jerusalém" e constitui uma violação da legislação israelense a respeito das instituições palestinas da cidade.

"As ameaças contra dirigentes palestinos, sua detenção, inclusive o 'sequestro' do governador Gheith, são parte de um plano que pretende sufocar todas as bases de uma solução política com dois Estados e com as f…

Dependência dos EUA em armas nucleares aproxima mundo da aniquilação, diz ministro do Irã

A Revisão sobre Postura Nuclear (NPR, na sigla em inglês) dos Estados Unidos mostra a crescente dependência do país em armas nucleares, disse o ministro iraniano de Relações Exteriores, Javad Zarif, enfatizando que tal abordagem aproximaria a humanidade da destruição.


Sputnik

"A Revisão da Postura Nuclear dos EUA reflete uma maior dependência de armas nucleares, violando o Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares, trazendo a humanidade mais perto da aniquilação. Não é de admirar que o 'Relógio do fim do Mundo' aponte o momento mais perigoso desde 1953", escreveu Zarif, no Twitter.


Ministro das Relações Exeteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif
Ministro iraniano de Relações Exteriores, Javad Zarif © AP Photo/ Petr David Josek

O ministro iraniano também criticou a abordagem de Washington ao Plano Conjunto de Ação (JCPOA, na sigla em inglês) dizendo que a "teimosia" do presidente dos EUA, Donald Trump, em "acabar" com o acordo vem da mesma "imprudência perigosa".

O NPR, publicado na sexta-feira (2), afirma que é necessária uma dissuasão nuclear mais forte para desencorajar a Rússia, a China, o Irã e a Coreia do Norte, quer desenvolvendo novas armas ou expandindo os arsenais existentes.

Além disso, a doutrina prevê planos de curto prazo para modificar as ogivas de míssil balístico lançadas por submarino (SLBM, na sigla em inglês) existentes para fornecer uma opção de baixo rendimento e buscar um míssil de cruzeiro moderno lançado por mar com armas nucleares (SLCM) no longo prazo.

O NPR observa que essas atividades não se destinam a ser empregadas em uma guerra nuclear, no entanto, destinam-se a aumentar a capacidade nuclear dos EUA para garantir que os adversários potenciais do país não vejam nenhuma vantagem possível na escalada nuclear.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas