Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Super Tucano em teste pela Força Aérea dos EUA sofre acidente

Queda sem causa ainda definida é má notícia para a fabricante brasileira, que disputa concorrência com americanos
Igor Gielow | Folha de S.Paulo

Um turboélice A-29 Super Tucano, fabricado pela Embraer, caiu durante um exercício de ataque leve conduzido pela Força Aérea dos EUA em um campo de provas do Novo México, na sexta (22).

Dois tripulantes conseguiram se ejetar. Segundo comunicado da base de Holloman, um dele se feriu levemente e foi medicado, enquanto não há detalhes do estado do segundo. A causa do acidente não foi divulgada.

O avião participa da fase final da competição para fornecimento de aviões leves para missões de ataque a solo e reconhecimento. Inicialmente, os EUA querem adquirir 15 unidades, para depois expandir a até 120. Elas servirão para substituir o famoso A-10 Warthog (Javali, em inglês), um modelos subsônico a jato fortemente armado e blindado que opera desde 1977.

Os americanos estão procurando opções mais econômicas para a missão. Enquanto um A-10 tem sua hora-voo…

EUA ameaçam lançar mais ataques contra o exército sírio

A embaixadora dos EUA antes das Nações Unidas (ONU), Nikki Haley, alertou nesta quinta-feira que a adoção de uma medida militar contra o governo do presidente da Síria, Bashar al-Asad, continua sendo uma opção na agenda de Washington.


Pars Today

"Uma solução militar (contra a Síria) é sempre considerada (como uma opção) em qualquer situação", disse o diplomata dos EUA em um discurso que pronunciou no Departamento de Política da Universidade de Chicago (EUA). Em total contradição, Haley lembrou que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, prometeu "não expandir" o setor militar já presente na Síria, que ataca o exército sírio de tempos em tempos, mas as autoridades de Damasco sabem que Washington poderá atacar o país, enfatizou. O representante dos EUA junto da ONU também observou que Washington, embora aparentemente não quisesse "estar no centro do conflito sírio", de acordo com Haley, fará tudo o que estiver ao seu alcance para "ajudar" a nação síria, que é vítima de armas químicas.


EUA ameaçam lançar mais ataques contra o exército sírio

Haley também pediu na quarta-feira medidas "imediatas" para "salvar" a vida de civis no leste de Guta, localizado nas proximidades de Damasco (a capital da Síria), culpando os recentes ataques ao governo de Al-Assad.

"É hora de tomar medidas imediatas para salvar a vida de homens, mulheres e crianças que estão sob ataques bárbaros pelo governo Al-Assad", disse a diplomata. Uma solução militar (contra a Síria) é sempre considerada (como uma opção) em qualquer situação, disse a embaixadora dos EUA ante as Nações Unidas (ONU), Nikki Haley.

Haley se preocupa com a vida dos civis sírios em um momento em que a aliança anti- Daesh, que lidera por EUA, confirmou na quinta-feira que tinha matado mais 10 civis em seus bombardeios na Síria e no Iraque, aumentando o número total de mortes de sua campanha aérea iniciada desde 2014 nesses dois países, para 841.

Nos últimos dias, Guta Oriental tem sido o palco do combate depois que os terroristas intensificaram suas ofensivas contra as posições do exército sírio. As Nações Unidas (ONU) confirmaram na quarta-feira a morte de pelo menos 100 pessoas como resultado dos bombardeios e confrontos nesta região.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas