Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Novo corte na verba do PROSUB preocupa Comando da Marinha do Brasil

O Comandante da Marinha, almirante de esquadra Eduardo Leal Ferreira, está seriamente preocupado com as consequências negativas de um novo e importante corte nos recursos do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB), previstos para o orçamento de 2019.
Por Roberto Lopes e Alexandre Galante | Poder Naval

O Programa, cujos termos foram ajustados em 2009, estabelece a produção, no complexo industrial naval de Itaguaí (RJ), de quatro submarinos de ataque convencionais (propulsão diesel-elétrica) da classe Scorpène, e a assistência técnica francesa para a construção do primeiro submarino nuclear brasileiro.

O primeiro submarino convencional, batizado Riachuelo, deve ser lançado ao mar na manhã da quarta-feira 12 de dezembro.

Em novembro de 2016, reunido com lideranças da Base Industrial de Defesa, em São Paulo, o então ministro da Defesa, Raul Jungmann, estimou o valor total do investimento brasileiro no PROSUB em 30 bilhões de Reais.

O Poder Naval não teve acesso aos valores da reduçã…

EUA ameaçam lançar mais ataques contra o exército sírio

A embaixadora dos EUA antes das Nações Unidas (ONU), Nikki Haley, alertou nesta quinta-feira que a adoção de uma medida militar contra o governo do presidente da Síria, Bashar al-Asad, continua sendo uma opção na agenda de Washington.


Pars Today

"Uma solução militar (contra a Síria) é sempre considerada (como uma opção) em qualquer situação", disse o diplomata dos EUA em um discurso que pronunciou no Departamento de Política da Universidade de Chicago (EUA). Em total contradição, Haley lembrou que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, prometeu "não expandir" o setor militar já presente na Síria, que ataca o exército sírio de tempos em tempos, mas as autoridades de Damasco sabem que Washington poderá atacar o país, enfatizou. O representante dos EUA junto da ONU também observou que Washington, embora aparentemente não quisesse "estar no centro do conflito sírio", de acordo com Haley, fará tudo o que estiver ao seu alcance para "ajudar" a nação síria, que é vítima de armas químicas.


EUA ameaçam lançar mais ataques contra o exército sírio

Haley também pediu na quarta-feira medidas "imediatas" para "salvar" a vida de civis no leste de Guta, localizado nas proximidades de Damasco (a capital da Síria), culpando os recentes ataques ao governo de Al-Assad.

"É hora de tomar medidas imediatas para salvar a vida de homens, mulheres e crianças que estão sob ataques bárbaros pelo governo Al-Assad", disse a diplomata. Uma solução militar (contra a Síria) é sempre considerada (como uma opção) em qualquer situação, disse a embaixadora dos EUA ante as Nações Unidas (ONU), Nikki Haley.

Haley se preocupa com a vida dos civis sírios em um momento em que a aliança anti- Daesh, que lidera por EUA, confirmou na quinta-feira que tinha matado mais 10 civis em seus bombardeios na Síria e no Iraque, aumentando o número total de mortes de sua campanha aérea iniciada desde 2014 nesses dois países, para 841.

Nos últimos dias, Guta Oriental tem sido o palco do combate depois que os terroristas intensificaram suas ofensivas contra as posições do exército sírio. As Nações Unidas (ONU) confirmaram na quarta-feira a morte de pelo menos 100 pessoas como resultado dos bombardeios e confrontos nesta região.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas