Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: Brasil poderia se tornar 'vigilante' dos EUA na América Latina

O presidente norte-americano, Donald Trump, referiu a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN. O analista russo Pavel Feldman avaliou a possibilidade de entrada do Brasil na aliança, bem como que papel poderia desempenhar o Brasil no conflito na Venezuela.
Sputnik

Durante a visita oficial do presidente do Brasil Jair Bolsonaro aos EUA, foram discutidos os assuntos internacionais mais importantes, entre eles a cooperação bilateral entre os EUA e o Brasil e a situação na Venezuela.


Uma das declarações mais sensacionais foi a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN, referida pelo presidente dos EUA Donald Trump.

O vice-diretor do Instituto de Estudos Estratégicos e Prognósticos da Universidade Russa da Amizade dos Povos, Pavel Feldman, revelou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik que os EUA são apenas um dos países da OTAN, há outros países cuja opinião deveria ser levada em conta nesse assunto.

Segundo ele, se o Brasil aderir à OTAN ele vai desempenhar o papel de vigilante d…

EUA: hora de a ONU agir contra o Irã

É hora de o Conselho de Segurança da ONU agir contra o Irã, levando em consideração o relatório de especialistas das Nações Unidas que afirmam que Teerã violou o embargo de armas ao Iêmen. Foi o que declarou nesta quinta-feira a embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley.


Sputnik

De acordo com esse relatório, publicado pela AFP, o Irã não teria conseguido impedir a entrega, a rebeldes houthis do Iêmen, de elementos de mísseis balísticos disparados contra o território da Arábia Saudita. 


Embaixadora dos EUA na ONU afirma que o Irã deve ser punido por supostamente violar o embargo de armas ao Iêmen
Bandeiras do Irã © REUTERS/ Morteza Nikoubazl

"Esse relatório destaca aquilo que nós dizemos há meses: o Irã transferiu armas ilegalmente, em violação a múltiplas resoluções do Conselho de Segurança", declarou a diplomata norte-americana. "O mundo não pode continuar a deixar essas violações flagrantes sem resposta. É hora de agir para o Conselho de Segurança".

Teerã nega veementemente ter armado os rebeldes houthis, acusando os Estados Unidos de terem fabricado provas relacionadas a essa acusação.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas