Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pentágono nega que avião russo tenha 'expulsado' bombardeiro americano do Báltico

O Pentágono não concorda que o bombardeiro estratégico norte-americano B-52H tenha sido expulso por um caça russo Su-27 sobre o mar Báltico, comunicou à Sputnik o representante da entidade militar americana Eric Pahon.
Sputnik

"O avião da Força Aérea dos EUA B-52H realizava operações rotineiras no espaço aéreo internacional segundo o princípio da liberdade de navegação e de voo. Em 20 de março, o B-52H teve um encontro ordinário com um Su-27 russo que efetuava operações sobre o mar Báltico", esclareceu o porta-voz do Pentágono.

Pahon acrescentou que o Su-27 não expulsou o B-52H, que conseguiu completar a sua missão.

Na véspera, o Ministério da Defesa da Rússia publicou um vídeo de caças russos escoltando um bombardeiro estratégico americano Boeing B-52H sobre as águas neutras do mar Báltico. Segundo o comunicado, dois caças Su-27 levantaram voo para identificar e acompanhar a aeronave dos EUA.

De acordo com o Ministério, após o B-52H ter mudado de trajetória, distanciando-se da f…

EUA possuem armas nucleares perto da fronteira com a Rússia

Os Estados Unidos ainda possuem e modernizam suas armas nucleares táticas na Europa, colocando-as perto das fronteiras russas, disse o Ministério das Relações Exteriores da Rússia neste sábado (3), em um comunicado.


Sputnik

"Vale ressaltar que […] os Estados Unidos ainda têm e até modernizam suas armas nucleares táticas na Europa, implantando-as na proximidade das fronteiras da Rússia. Além disso, a OTAN pratica as chamadas 'missões nucleares conjuntas', nas quais os membros 'não nucleares' da Aliança participam do planejamento do uso de armas nucleares dos EUA e estão empenhados em exercícios sobre o manuseio das armas, o que é uma violação flagrante do Tratado sobre a Não Proliferação de Armas Nucleares", afirma o comunicado.


Imagem relacionada
Os EUA decidiram modernizar suas armas táticas nucleares instaladas na Europa | Reprodução

A declaração rebate ideias falsas que circulam acerca do compromisso da Rússia com tratados de diminuição de armas, o que os EUA não estariam fazendo na mesma proporção.

"As declarações da doutrina nuclear dos EUA sobre a Rússia não ter cumprido as Iniciativas Nucleares Presidenciais de 1991-1992, relativas a compromissos políticos para desativar e reduzir as armas nucleares não estratégicas, são exageradas. Implementando as Iniciativas, a Rússia destruiu a maioria dessas armas, reduzindo o arsenal em três quartos, levando essas armas para a categoria de 'não implantadas' e concentrando-as em instalações centrais de armazenamento no território nacional", disse o ministério.

"A escala desta campanha sobre a redução do status operacional das armas nucleares e sobre a revisão do seu papel na doutrina militar nacional é sem precedentes", acrescentou a declaração.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas