Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Super Tucano em teste pela Força Aérea dos EUA sofre acidente

Queda sem causa ainda definida é má notícia para a fabricante brasileira, que disputa concorrência com americanos
Igor Gielow | Folha de S.Paulo

Um turboélice A-29 Super Tucano, fabricado pela Embraer, caiu durante um exercício de ataque leve conduzido pela Força Aérea dos EUA em um campo de provas do Novo México, na sexta (22).

Dois tripulantes conseguiram se ejetar. Segundo comunicado da base de Holloman, um dele se feriu levemente e foi medicado, enquanto não há detalhes do estado do segundo. A causa do acidente não foi divulgada.

O avião participa da fase final da competição para fornecimento de aviões leves para missões de ataque a solo e reconhecimento. Inicialmente, os EUA querem adquirir 15 unidades, para depois expandir a até 120. Elas servirão para substituir o famoso A-10 Warthog (Javali, em inglês), um modelos subsônico a jato fortemente armado e blindado que opera desde 1977.

Os americanos estão procurando opções mais econômicas para a missão. Enquanto um A-10 tem sua hora-voo…

Governo não vai detalhar decreto de intervenção no Rio: 'É entregar o ouro ao bandido'

O comandante do Exército Brasil, general Eduardo Villas Bôas tinha pedido em comunicado que o governo detalhasse os pontos da autorização da intervenção federal no Rio de Janeiro por meio de decreto complementar. A possibilidade, no entanto, foi descartada hoje pelo ministro da Justiça, Torquato Jardim.


Sputnik

O ministro negou o pedido justificando confidencialidade das operações por questão de inteligência.


Soldados das Forças Armadas atuam no patrulhamento nas praias da zona sul do Rio de Janeiro
Soldados das Forças Armadas em patrulha no Rio de Janeiro | Tomaz Silva / Agência Brasil

"Nós não vamos detalhar no decreto de conversão que será feito, porque aí é entregar o ouro ao bandido", disse durante entrevista coletiva em Brasília, citado pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Torquato aproveitou a ocasião, originalmente realizada para acompanhar o envio de força-tarefa ao Ceará, para destacar que não há previsão de envio de verbas da União para complementar a segurança pública carioca. O ministro explicou que a folha de pagamento do Rio de Janeiro com a Polícia continuará sob responsabilidade do estado, enquanto o governo federal cuidará dos salários, diárias e munição das Forças Armadas.

"O orçamento já existe, não tem que detalhar mais", declarou.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas