Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha da Argentina fala sobre localização do submarino ARA San Juan

Embarcação desaparecida há 1 ano foi localizada neste sábado a 907 metros de profundidade. Ainda não há previsão de início dos trabalhos de resgate. 'Não temos meios para resgatar o submarino', diz ministro.
Por G1

A Marinha da Argentina informou neste sábado (17) que o submarino ARA San Juan, que sumiu há 1 ano com 44 tripulantes, foi encontrado a 907 metros de profundidade em uma área de "visibilidade bastante reduzida", e que a embarcação sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma área de 80 a 100 metros. “Isso sugere que a implosão tenha ocorrido muito perto do fundo”, disse.

Segundo a Marinha, as imagens mostram que o casco do submarino permaneceu bastante intacto, apenas com algumas deformações, e que todas as outras partes se desprenderam. A implosão teria ocorrido em razão da pressão externa do mar ter superado …

Governo não vai detalhar decreto de intervenção no Rio: 'É entregar o ouro ao bandido'

O comandante do Exército Brasil, general Eduardo Villas Bôas tinha pedido em comunicado que o governo detalhasse os pontos da autorização da intervenção federal no Rio de Janeiro por meio de decreto complementar. A possibilidade, no entanto, foi descartada hoje pelo ministro da Justiça, Torquato Jardim.


Sputnik

O ministro negou o pedido justificando confidencialidade das operações por questão de inteligência.


Soldados das Forças Armadas atuam no patrulhamento nas praias da zona sul do Rio de Janeiro
Soldados das Forças Armadas em patrulha no Rio de Janeiro | Tomaz Silva / Agência Brasil

"Nós não vamos detalhar no decreto de conversão que será feito, porque aí é entregar o ouro ao bandido", disse durante entrevista coletiva em Brasília, citado pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Torquato aproveitou a ocasião, originalmente realizada para acompanhar o envio de força-tarefa ao Ceará, para destacar que não há previsão de envio de verbas da União para complementar a segurança pública carioca. O ministro explicou que a folha de pagamento do Rio de Janeiro com a Polícia continuará sob responsabilidade do estado, enquanto o governo federal cuidará dos salários, diárias e munição das Forças Armadas.

"O orçamento já existe, não tem que detalhar mais", declarou.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas