Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Radicais sírios estariam recebendo armamento dos EUA através da fronteira com Jordânia

Enquanto o exército sírio parece estar pronto para uma grande ofensiva na província de Daraa, os grupos radicais que operam na região estariam recebendo grandes remessas de material bélico "Made in USA".
Sputnik

Os grupos militantes que atuam no sul da Síria receberam uma grande quantidade de armas e munições fabricadas nos EUA, incluindo mísseis antitanque TOW, informou a agência de notícias FARS.

De acordo com a FARS, o armamento foi entregue através da fronteira com a Jordânia no âmbito de um novo plano dos EUA para assegurar mais apoio a estes grupos na Síria.

A agência informou também que os grupos militantes na província de Daraa começaram a se preparar para impedir a ofensiva do exército sírio.

No início deste mês, o exército sírio intensificou as ações no sudoeste do país, controlado por radicais, perto da fronteira com a Jordânia e as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O Ministério da Defesa da Rússia acrescentou que as forças do governo sírio, apoiadas por um grande a…

Irã: EUA e Grã-Bretanha responsáveis pela ofensiva militar saudita no Iêmen

Os Estados Unidos e a Grã-Bretanha são responsáveis pela contínua agitação guerrera e militar da Arábia Saudita contra o Iêmen, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores iraniano Bahram Qasemi.


Pars Today

Qasemi disse: "O desempenho dos EUA e da Grã-Bretanha nos últimos três anos no Conselho de Segurança [das Nações Unidas] foi inconsistente e alinhado com a legitimidade dos agressores contra o Iêmen".


Irã: EUA, Grã-Bretanha responsável pela ofensiva militar saudita no Iêmen
Bahram Qasemi | Reprodução

Ele acrescentou que Washington e Londres estão usando os mecanismos do Conselho de Segurança da ONU nos últimos três anos para cobrir os "crimes de guerra" cometidos pela Arábia Saudita e seus aliados no país empobrecido.

O porta-voz iraniano fez o comentário um dia depois que a Rússia vetou uma resolução no Conselho de Segurança, apresentada pela Grã-Bretanha e fortemente apoiada pelos Estados Unidos, que pediu "medidas adicionais" contra o Irã por acusações de que violou o embargo de armas em 2015 à guerra - estado da Península Arábica.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas