Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

'Jerusalém será capital do califado Islâmico'

O xeique Kamal al-Khatib, vice-presidente do Movimento Islâmico ilegal em Israel, promete que Jerusalém será capital do califado, informa o portal Arutz Sheva.


Sputnik

"A cidade de Al-Quds [nome árabe de Jerusalém] é a capital de califado islâmico" e "com ajuda de Alá, ela se tornará realidade muito em breve", advertiu o líder da formação islamista próxima da Irmandade Muçulmana, que é uma organização islâmica radical.


Palestinos rezando na mesquita Al-Aqsa na Cidade Velha de Jerusalém
Palestinos rezando na Mesquita Al-Aqsa, na Cidade Velha em Jerusalém © AP Photo/ Mahmoud Illean

Em alusão às autoridades palestinas, Kamal al-Khatib condena aqueles que se limitam a falar do seu amor e ligação espiritual à mesquita de Jerusalém Al-Aqsa, o terceiro lugar mais sagrado do islã, mas nunca chegaram a ir ao local. Para ele, quem sente esse amor verdadeiro mostra-o com "atividades islâmicas nas mesquitas, renovando as casas de muçulmanos na Cidade Velha de Jerusalém" ou ao ser "detidos ou obrigados a pagar uma multa por suas atividades".

Al-Khatib recorda como as autoridades palestinas negociaram o estatuto de Jerusalém durante os Acordos de Oslo de 1993 e agora "derramam lágrimas de crocodilo" ao ver que a cidade sagrada "é cada vez mais judaica".

No dia 6 de dezembro de 2017, o presidente dos EUA declarou que o seu país reconhece a cidade de Jerusalém como capital de Israel e anunciou a transferência da embaixada norte-americana, que atualmente se encontra em Tel Aviv.

Numerosos líderes mundiais se mostraram preocupados com a decisão da administração do presidente norte-americano.


Postar um comentário