Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Novo corte na verba do PROSUB preocupa Comando da Marinha do Brasil

O Comandante da Marinha, almirante de esquadra Eduardo Leal Ferreira, está seriamente preocupado com as consequências negativas de um novo e importante corte nos recursos do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB), previstos para o orçamento de 2019.
Por Roberto Lopes e Alexandre Galante | Poder Naval

O Programa, cujos termos foram ajustados em 2009, estabelece a produção, no complexo industrial naval de Itaguaí (RJ), de quatro submarinos de ataque convencionais (propulsão diesel-elétrica) da classe Scorpène, e a assistência técnica francesa para a construção do primeiro submarino nuclear brasileiro.

O primeiro submarino convencional, batizado Riachuelo, deve ser lançado ao mar na manhã da quarta-feira 12 de dezembro.

Em novembro de 2016, reunido com lideranças da Base Industrial de Defesa, em São Paulo, o então ministro da Defesa, Raul Jungmann, estimou o valor total do investimento brasileiro no PROSUB em 30 bilhões de Reais.

O Poder Naval não teve acesso aos valores da reduçã…

Lavrov: 'Ancara e Damasco devem dialogar e respeitar a integridade da Síria'

O ministro de Assuntos Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, declarou nesta quarta-feira que Ancara e Damasco devem dialogar para fechar um acordo após a invasão do Exército turco do enclave sírio de Afrin há um mês.


EFE

"Deveria haver um diálogo baseado na integridade territorial da Síria", disse Lavrov em entrevista coletiva em Liubliana.


Sergei Lavrov em foto de 17 de fevereiro. EFE/EPA/Ronald Wittek
Sergei Lavrov em foto de 17 de fevereiro. EFE/EPA/Ronald Wittek

Ao mesmo tempo, considerou que o regime do presidente sírio, Bashar al Assad, "deveria também negociar com cada parte do conflito ativo no seu país, incluindo os curdos".

"Esses são os princípios necessários para evitar o derramamento de sangue", ressaltou o chefe da diplomacia russa, e acrescentou que os mesmos são também de interesse para todos os vizinhos da Síria.

Neste contexto, acusou os Estados Unidos e seus aliados de apoiar as supostas tendências separatistas da minoria curda na Síria.

"As ações dos EUA e dos seus parceiros na coalizão (internacional contra o grupo terrorista Estado Islâmico) não facilitaram a solução do conflito na Síria, quando decidiram apoiar a autonomia curda", avaliou Lavrov.

Lavrov, que se reuniu em Liubliana com seu colega esloveno, Karl Erjavec, lembrou que um dos maiores conflitos no Oriente Médio continua sendo entre israelenses e palestinos.

"A Rússia advoga negociações diretas, que as duas partes (Israel e Palestina) se sentem para negociar. Isso representaria um passo muito grande", destacou o russo.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas