Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil abre processo administrativo para apurar vídeo de militares dançando 'Jenifer' em navio

Em nota, a Marinha informou que e 'foi constatado comportamento completamente incompatível com as tradições' e que irá apurar o ocorrido.
Por G1 Rio

A Marinha do Brasil instaurou um processo administrativo para apurar um vídeo em que um grupo de militares aparece dançando a música "Jenifer" em um navio oficial.


A embarcação, segundo a Marinha, é o Aviso de Instrução Guarda-Marinha Brito, que fica sediado no Rio de Janeiro. A gravação foi feita durante o estágio de mar de militares.

Em nota, a Marinha informou que "foi constatado comportamento completamente incompatível com as tradições da Marinha" e que, para ampliar a apuração do ocorrido, foi instaurado um procedimento administrativo "cuja conclusão, certamente, conterá as propostas pertinentes às necessárias correções no inaceitável comportamento".

Assista o vídeo

Líbano promete usar todos os meios para enfrentar possível agressão de Israel

A tensão estre Líbano e Israel aumentou recentemente após Tel Aviv ter anunciado seus planos para construir um muro em territórios disputados.


Sputnik

O general libanês, Joseph Aoun, afirmou que o exército do Líbano usará todos os meios possíveis para enfrentar a potencial "agressão libanesa".


Soldados libaneses sobre o veículo blindado (foto de arquivo)
Tropas libanesas © AP Photo/ Hassan Ammar

"Afirmo novamente nossa rejeição categórica do inimigo israelense violando a soberania do Líbano e seu direito sagrado de explorar todos os seus recursos econômicos", disse Aoun em uma conferência regional, acrescentando que "o exército não poupará nenhum meio disponível para confrontar qualquer agressão israelense, custe o que custar".

As relações israelo-libanesas pioraram ainda mais devido aos planos de Israel de construir um muro ao longo da fronteira sul do Líbano, bem como ao longo do campo de gás no leste do Mediterrâneo.

Israel planeja criar um muro em sua parte da Linha Azul estabelecida pela ONU após a retirada do país do sul do Líbano em 2000.

As autoridades libanesas descreveram a iniciativa de Tel Aviv como "ameaça direta à estabilidade", apelando a seu vizinho para que pare as construções.

Além disso, outra disputa aconteceu em dezembro passado devido aos planos do Líbano de explorar duas unidades energéticas do Mediterrâneo por empresas estrangeiras.

Israel protestou contra a medida enquanto o ministro da Defesa do país, Avigdor Lieberman, declarou que a zona em questão era de Tel Aviv "em qualquer circunstância".


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas