Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Analista: entrega de dados de Israel sobre abate de Il-20 significa muito para Rússia

O comandante da Força Aérea Israelense, Amikam Norkin, forneceu ao Ministério da Defesa da Rússia dados sobre o incidente com o avião russo Il-20 na Síria. Israel demonstra que não pretende perder a cooperação estabelecida com a Rússia, disse o analista político Stanislav Tarasov durante uma entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik.
Sputnik

Além destas informações sobre o abate da aeronave, Israel também avisou sobre "as tentativas do Irã de fortalecer sua posição na Síria e entregar armas estratégicas ao Hezbollah". Os militares observaram que é necessário continuar coordenando as ações na Síria, ressaltando a importância de respeitar os interesses dos dois países.

O avião russo Il-20 foi abatido sobre o mar Mediterrâneo no dia 17 de setembro, a 35 quilômetros da costa síria, por um míssil do sistema antiaéreo S-200 da Síria, resultando na morte de 15 militares.

Ao mesmo tempo, quatro caças F-16 atacaram instalações sírias em Latakia. De acordo com o Ministério da Defesa da…

Macron pede a colegas europeus que apoiem resolução sobre a Síria

O presidente da França, Emmanuel Macron, solicitou nesta sexta-feira a seus colegas europeus que se mobilizem a favor de uma resolução das Nações Unidas para estabelecer na Síria uma trégua humanitária.


EFE

O líder francês pediu o apoio dos países da União Europeia durante a cúpula informal de chefes de Estado e Governo realizado em Bruxelas para adaptar o orçamento europeu posterior a 2020 à saída britânica da UE e tratar de questões institucionais.


EFE/ Julien Warnand
Emmanuel Macron | EFE/ Julien Warnand

Fontes do Palácio do Eliseu indicaram que Macron abordou a crise na Síria "tendo em vista a gravidade" da situação.

Desde domingo, Guta Oriental, principal reduto da oposição, nos arredores de Damasco, é cenário de uma escalada de ataques, nos quais morreram 436 pessoas, 99 delas menores de idade e 63 mulheres, enquanto 2.231 ficaram feridas, segundo os últimos dados do Observatório Sírio de Direitos Humanos.

As fontes presidenciais francesas explicaram que Macron pediu "que os países da UE se mobilizem e apoiem a adoção da resolução da ONU com o cessar-fogo e o acesso humanitário".

A Rússia, aliada do Governo de Damasco, freou ontem à noite a resolução proposta no Conselho de Segurança das Nações Unidas e defendeu a ofensiva governamental contra esse enclave rebelde, apesar das duras críticas internacionais.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas