Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China desenvolve 2 novos bombardeiros furtivos ao mesmo tempo, diz inteligência americana

A Força Aérea da China, que já tem dois caças furtivos, está trabalhando em dois novos projetos de aviões furtivos de médio e longo alcance, informou um relatório da inteligência militar dos EUA.
Sputnik

Os fabricantes de aviões chineses estão envolvidos em dois projetos de bombardeiros furtivos ao mesmo tempo, informou a edição Aviation Week, citando um relatório da Agência de Inteligência do Departamento de Defesa dos EUA.


A existência de um desses projetos, H-20 ou H-X, foi confirmada pela Força Aérea Chinesa em 2017. Entretanto, não foi divulgada nenhuma informação confiável sobre o segundo projeto.

De acordo com o Pentágono, o segundo projeto, designado JH-XX, envolve o desenvolvimento de um caça-bombardeiro de médio alcance. O avião será equipado com radar AESA, mísseis ar-ar e mísseis ar-terra. Os especialistas em inteligência militar estadunidense acreditam que essa aeronave entrará em serviço da Força Aérea chinesa não antes de 2025.

No desenvolvimento desses novos aviões de comba…

Macron pede a colegas europeus que apoiem resolução sobre a Síria

O presidente da França, Emmanuel Macron, solicitou nesta sexta-feira a seus colegas europeus que se mobilizem a favor de uma resolução das Nações Unidas para estabelecer na Síria uma trégua humanitária.


EFE

O líder francês pediu o apoio dos países da União Europeia durante a cúpula informal de chefes de Estado e Governo realizado em Bruxelas para adaptar o orçamento europeu posterior a 2020 à saída britânica da UE e tratar de questões institucionais.


EFE/ Julien Warnand
Emmanuel Macron | EFE/ Julien Warnand

Fontes do Palácio do Eliseu indicaram que Macron abordou a crise na Síria "tendo em vista a gravidade" da situação.

Desde domingo, Guta Oriental, principal reduto da oposição, nos arredores de Damasco, é cenário de uma escalada de ataques, nos quais morreram 436 pessoas, 99 delas menores de idade e 63 mulheres, enquanto 2.231 ficaram feridas, segundo os últimos dados do Observatório Sírio de Direitos Humanos.

As fontes presidenciais francesas explicaram que Macron pediu "que os países da UE se mobilizem e apoiem a adoção da resolução da ONU com o cessar-fogo e o acesso humanitário".

A Rússia, aliada do Governo de Damasco, freou ontem à noite a resolução proposta no Conselho de Segurança das Nações Unidas e defendeu a ofensiva governamental contra esse enclave rebelde, apesar das duras críticas internacionais.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas