Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Poloneses pedem a Trump ajuda para conseguir indenização da Rússia e Alemanha pela 2ª Guerra

Um auto-proclamado "partido bíblico antiglobalista" pró-EUA e pró-Israel da Polônia, que se autodenomina "Movimento 11 de novembro", criou uma petição no site We the People da Casa Branca pedindo ao presidente Donald Trump ajude a obter "compensação adequada" da Rússia e da Alemanha por danos causados ​​na Segunda Guerra Mundial.
Sputnik

"Os poloneses livres estão apelando para os EUA, o vencedor na Segunda Guerra Mundial e o fiador dos acordos do pós-guerra, para obter ajuda na recuperação das reparações de guerra da Alemanha e da Rússia", diz a petição.


Além de alcançar a "justiça histórica", uma campanha de reparações bem-sucedida desempenharia "um papel fundamental na Polônia, tornando-se um forte aliado dos Estados Unidos diante da ameaça que surge na Europa e na Ásia — um novo Império do Mal".

Falando ao The New American, uma pequena revista de propriedade da John Birch Society, o co-autor e vice-presidente do Movimento 11…

Macron pede a colegas europeus que apoiem resolução sobre a Síria

O presidente da França, Emmanuel Macron, solicitou nesta sexta-feira a seus colegas europeus que se mobilizem a favor de uma resolução das Nações Unidas para estabelecer na Síria uma trégua humanitária.


EFE

O líder francês pediu o apoio dos países da União Europeia durante a cúpula informal de chefes de Estado e Governo realizado em Bruxelas para adaptar o orçamento europeu posterior a 2020 à saída britânica da UE e tratar de questões institucionais.


EFE/ Julien Warnand
Emmanuel Macron | EFE/ Julien Warnand

Fontes do Palácio do Eliseu indicaram que Macron abordou a crise na Síria "tendo em vista a gravidade" da situação.

Desde domingo, Guta Oriental, principal reduto da oposição, nos arredores de Damasco, é cenário de uma escalada de ataques, nos quais morreram 436 pessoas, 99 delas menores de idade e 63 mulheres, enquanto 2.231 ficaram feridas, segundo os últimos dados do Observatório Sírio de Direitos Humanos.

As fontes presidenciais francesas explicaram que Macron pediu "que os países da UE se mobilizem e apoiem a adoção da resolução da ONU com o cessar-fogo e o acesso humanitário".

A Rússia, aliada do Governo de Damasco, freou ontem à noite a resolução proposta no Conselho de Segurança das Nações Unidas e defendeu a ofensiva governamental contra esse enclave rebelde, apesar das duras críticas internacionais.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas