Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Radicais sírios estariam recebendo armamento dos EUA através da fronteira com Jordânia

Enquanto o exército sírio parece estar pronto para uma grande ofensiva na província de Daraa, os grupos radicais que operam na região estariam recebendo grandes remessas de material bélico "Made in USA".
Sputnik

Os grupos militantes que atuam no sul da Síria receberam uma grande quantidade de armas e munições fabricadas nos EUA, incluindo mísseis antitanque TOW, informou a agência de notícias FARS.

De acordo com a FARS, o armamento foi entregue através da fronteira com a Jordânia no âmbito de um novo plano dos EUA para assegurar mais apoio a estes grupos na Síria.

A agência informou também que os grupos militantes na província de Daraa começaram a se preparar para impedir a ofensiva do exército sírio.

No início deste mês, o exército sírio intensificou as ações no sudoeste do país, controlado por radicais, perto da fronteira com a Jordânia e as Colinas de Golã, ocupadas por Israel.

O Ministério da Defesa da Rússia acrescentou que as forças do governo sírio, apoiadas por um grande a…

Macron pede a colegas europeus que apoiem resolução sobre a Síria

O presidente da França, Emmanuel Macron, solicitou nesta sexta-feira a seus colegas europeus que se mobilizem a favor de uma resolução das Nações Unidas para estabelecer na Síria uma trégua humanitária.


EFE

O líder francês pediu o apoio dos países da União Europeia durante a cúpula informal de chefes de Estado e Governo realizado em Bruxelas para adaptar o orçamento europeu posterior a 2020 à saída britânica da UE e tratar de questões institucionais.


EFE/ Julien Warnand
Emmanuel Macron | EFE/ Julien Warnand

Fontes do Palácio do Eliseu indicaram que Macron abordou a crise na Síria "tendo em vista a gravidade" da situação.

Desde domingo, Guta Oriental, principal reduto da oposição, nos arredores de Damasco, é cenário de uma escalada de ataques, nos quais morreram 436 pessoas, 99 delas menores de idade e 63 mulheres, enquanto 2.231 ficaram feridas, segundo os últimos dados do Observatório Sírio de Direitos Humanos.

As fontes presidenciais francesas explicaram que Macron pediu "que os países da UE se mobilizem e apoiem a adoção da resolução da ONU com o cessar-fogo e o acesso humanitário".

A Rússia, aliada do Governo de Damasco, freou ontem à noite a resolução proposta no Conselho de Segurança das Nações Unidas e defendeu a ofensiva governamental contra esse enclave rebelde, apesar das duras críticas internacionais.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas