Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Expansão da OTAN na Europa é uma 'relíquia da Guerra Fria', diz Putin

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse em entrevista à imprensa sérvia publicada nesta quarta-feira (horário local) que a Rússia não quer uma nova corrida armamentista.
Sputnik

"Não vamos fechar os olhos ao desdobramento de mísseis de cruzeiro dos EUA [na Europa] e sua ameaça direta à nossa segurança. Teremos que tomar medidas eficazes de retaliação. Mas como país responsável e sensato, a Rússia não está interessada em uma nova corrida armamentista", afirmou.


Segundo o presidente russo, Moscou enviou em dezembro a Washington algumas propostas sobre a manutenção do Tratado INF. Além disso, Putin destacou que a Rússia está pronta para um diálogo sério com os Estados Unidos sobre toda a agenda estratégica.

No entanto, os Estados Unidos parecem ter uma política de "desmantelamento" em relação ao controle global de armas, acrescentou o presidente russo.

Durante a entrevista aos meios de comunicação sérvios, Putin também instou os parceiros ocidentais a estabelecer um …

Moscou: russos feridos na Síria não eram militares

Em um dos últimos confrontos militares na Síria, dezenas de cidadãos russos ficaram feridos, mas não se trata de militares, afirma comunicado da chancelaria russa.


Sputnik

"Como já foi destacado, na Síria estão cidadãos russos, que partiram para lá voluntariamente e com vários objetivos. Não é responsabilidade do Ministério do Exterior avaliar legitimidade de tais decisões", diz o comunicado.


O edifício do Ministério das Relações Exteriores russo na Praça Smolenskaya-Sennaya, em Moscou
Ministério das Relações Exteriores da Rússia em Moscou © Sputnik/ Natalia Seliverstova

"Contudo, levando em consideração que se trata de cidadãos russos que estão no exterior, há de destacar o seguinte: durante último confronto, que não contou com nenhuma participação dos militares russos e não foi usado armamento orgânico, foram mortos cidadãos russos e dos países da CEI. Há várias dezenas de feridos. Todos eles receberam ajuda necessária para poderem voltar à Rússia, onde, pelo o que se sabe, eles estão recebendo assistência médica", acrescentaram no MRE russo.

Na madrugada de 8 de fevereiro, a coalizão liderada pelos EUA atacou milícias sírias, que estavam realizando operação contra "célula dormente" do Daesh, grupo terrorista, proibido na Rússia. Como resultado, foram feridas 25 pessoas. Os EUA declararam morte de "centenas", inclusive morte de russos.

O Kremlin, comentando o assunto, declarou que não dispõem de dados sobre russos na Síria que não são militares.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas