Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Super Tucano em teste pela Força Aérea dos EUA sofre acidente

Queda sem causa ainda definida é má notícia para a fabricante brasileira, que disputa concorrência com americanos
Igor Gielow | Folha de S.Paulo

Um turboélice A-29 Super Tucano, fabricado pela Embraer, caiu durante um exercício de ataque leve conduzido pela Força Aérea dos EUA em um campo de provas do Novo México, na sexta (22).

Dois tripulantes conseguiram se ejetar. Segundo comunicado da base de Holloman, um dele se feriu levemente e foi medicado, enquanto não há detalhes do estado do segundo. A causa do acidente não foi divulgada.

O avião participa da fase final da competição para fornecimento de aviões leves para missões de ataque a solo e reconhecimento. Inicialmente, os EUA querem adquirir 15 unidades, para depois expandir a até 120. Elas servirão para substituir o famoso A-10 Warthog (Javali, em inglês), um modelos subsônico a jato fortemente armado e blindado que opera desde 1977.

Os americanos estão procurando opções mais econômicas para a missão. Enquanto um A-10 tem sua hora-voo…

Nigéria liberta 475 suspeitos do Boko Haram para reabilitação

Mais de 20 mil pessoas foram mortas e 2 milhões foram forçadas a fugir de casa desde que o grupo radical islâmico iniciou insurgência, em 2009


Reuters


Um tribunal da Nigéria liberou 475 pessoas supostamente filiadas ao Boko Haram para reabilitação, informou o Ministério da Justiça neste domingo (18), à medida que a maior investigação legal do país sobre a insurgência islâmica continua.

Local onde houve ataque do Boko Haram em 2016 na Nigéria (Foto: Reuters)
Local onde houve ataque do Boko Haram em 2016 na Nigéria (Foto: Reuters)

A primeira pessoa condenada pelo sequestro de alunas de Chibok, em 2014, foi sentenciada a 15 anos de prisão na semana passada, e também recebeu uma sentença adicional de 15 anos, anunciou o Ministro da Justiça em um comunicado.

Mais de 20 mil pessoas foram mortas e dois milhões foram forçadas a fugir de suas casas no nordeste da Nigéria desde que o Boko Haram iniciou uma insurgência em 2009, com o objetivo de criar um estado islâmico.

Entretanto, grupos humanitários criticaram o tratamento das autoridades nigerianas contra os detidos, por infringirem os direitos dos suspeitos.

Algumas das pessoas, cujos casos foram ouvidos na semana passada em um centro de detenção no centro da Nigéria, estão detidos sem julgamento desde 2010, de acordo com a declaração do Ministério da Justiça.

"O Ministério Público não pode acusá-los [de] qualquer delito devido à falta de provas suficientes contra eles", disse o ministério.

Em outubro, o ministério disse que 45 pessoas suspeitas de terem ligação com o Boko Haram foram condenadas e presas. Outros 468 suspeitos foram liberados e 28 suspeitos continuam detidos para julgamento em Abuja ou Minna.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas