Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

VÍDEO mostra fragata norueguesa afundando, tendo colidido após manobras da OTAN

A mídia divulgou novos vídeo e fotos da fragata norueguesa KMN Helge Ingstad, que colidiu com o navio petroleiro Sola TS junto à costa norueguesa em circunstâncias desconhecidas ao regressar das manobras da OTAN.
Sputnik

A fragata ficou com um grande rombo a estibordo atravessando a linha de água, sete marinheiros ficaram feridos. A tripulação abandonou o navio acidentado, que depois foi rebocado para águas menos profundas para evitar seu afundamento total.


Uns dias após o acidente (8), a fragata continua parcialmente acima da superfície da água, mas está completamente assente no fundo. Mais de 10 toneladas de combustível para helicópteros vazou para o mar.

Até o momento, não há nenhumas informações sobre o estado do armamento a bordo, incluindo mísseis de cruzeiro e antiaéreos, torpedos e artilharia.

O petroleiro Sola TS, por sua parte, não sofreu nenhum dano durante a colisão.

As razões do incidente estão sendo investigadas. Entre as possíveis causas estão a navegação da fragata em reg…

'Norte-americanos se permitem bombardear qualquer coisa na Síria'

De acordo com o canal ABC, durante os bombardeamentos da coalizão, liderada pelos EUA, morreram cerca de cem militares das forças governamentais sírias. O analista Stanislav Byshok, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, expressou opinião de que os norte-americanos continuam apoiando a oposição na Síria.


Sputnik

A informação foi divulgada pelo canal de televisão ABC.

Segundo declarou um funcionário norte-americano, que preferiu manter anonimato, os ataques aéreos e o apoio da artilharia visaram repelir o ataque. Para ele, o ataque contra o Estado-Maior General das Forças Democráticas da Síria a leste do Eufrates foi coordenadíssimo e contou com participação tanto da artilharia como de tanques T-54 e T-72.


Caça norte-americano F-22 Raptor
F-22 Raptor dos EUA © flickr.com/ Airman Magazine

O analista da Organização Internacional de Monitoramento CIS-EMO, Stanislav Byshok, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, disse que os norte-americanos continuam apoiando as forças de oposição na Síria:

"O discurso dos norte-americanos de que Assad [presidente da Síria] deve deixar o poder foi reduzido a zero, ou, mais precisamente, foi substituído por 'Assad deve sair, mas um pouco mais tarde'. Mas isso não significa que tenham assumido compromisso de não atacar o exército sírio. A guerra civil lenta continua com os norte-americanos participando do lado das forças de oposição."

Para ele, como os EUA possuem um volumoso orçamento militar, eles se sentem no direito de bombardear qualquer coisa e travar ações caóticas na Síria. Ainda mais porque eles sabem que suas reservas de armas serão restauradas muito rapidamente, concluiu o especialista.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas