Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Super Tucano em teste pela Força Aérea dos EUA sofre acidente

Queda sem causa ainda definida é má notícia para a fabricante brasileira, que disputa concorrência com americanos
Igor Gielow | Folha de S.Paulo

Um turboélice A-29 Super Tucano, fabricado pela Embraer, caiu durante um exercício de ataque leve conduzido pela Força Aérea dos EUA em um campo de provas do Novo México, na sexta (22).

Dois tripulantes conseguiram se ejetar. Segundo comunicado da base de Holloman, um dele se feriu levemente e foi medicado, enquanto não há detalhes do estado do segundo. A causa do acidente não foi divulgada.

O avião participa da fase final da competição para fornecimento de aviões leves para missões de ataque a solo e reconhecimento. Inicialmente, os EUA querem adquirir 15 unidades, para depois expandir a até 120. Elas servirão para substituir o famoso A-10 Warthog (Javali, em inglês), um modelos subsônico a jato fortemente armado e blindado que opera desde 1977.

Os americanos estão procurando opções mais econômicas para a missão. Enquanto um A-10 tem sua hora-voo…

OTAN deixa de considerar Rússia como ameaça

O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, em entrevista concedida à Foreign Policy, declarou que a Rússia não apresenta nenhuma ameaça à Aliança, contrariando o que ele disse dias antes.


Sputnik

"Em primeiro lugar, não vimos nenhuma ameaça em relação a um dos países-membros da OTAN e sempre comento as situações hipotéticas cuidadosamente", disse.


Jens Stoltenberg, secretário-geral da OTAN
Jens Stoltenberg © AP Photo/ Virginia Mayo

Na sexta-feira (16), durante a Conferência de Segurança de Munique, Alemanha, Jens Stoltenberg anunciou que "a ameaça nuclear está em pauta de novo", porque "a Rússia viola o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF)". No dia seguinte, ele acusou Moscou de desencadear "uma nova corrida nuclear" e acrescentou que "os parceiros da OTAN estão preocupados".

Nos últimos anos, a Rússia tem se manifestado sobre atividades sem precedentes da OTAN perto de suas fronteiras ocidentais. Ao mesmo tempo, a OTAN alega que tais ações são "contenção da agressão russa". Moscou já proferiu sua preocupação com as forças crescentes da Aliança na Europa. O porta-voz do presidente da Rússia, Dmitry Peskov, declarou que o país não representa ameaça a ninguém, mas sempre estará atento aos interesses potencialmente perigosos ao Estado.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas