Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Expansão da OTAN na Europa é uma 'relíquia da Guerra Fria', diz Putin

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse em entrevista à imprensa sérvia publicada nesta quarta-feira (horário local) que a Rússia não quer uma nova corrida armamentista.
Sputnik

"Não vamos fechar os olhos ao desdobramento de mísseis de cruzeiro dos EUA [na Europa] e sua ameaça direta à nossa segurança. Teremos que tomar medidas eficazes de retaliação. Mas como país responsável e sensato, a Rússia não está interessada em uma nova corrida armamentista", afirmou.


Segundo o presidente russo, Moscou enviou em dezembro a Washington algumas propostas sobre a manutenção do Tratado INF. Além disso, Putin destacou que a Rússia está pronta para um diálogo sério com os Estados Unidos sobre toda a agenda estratégica.

No entanto, os Estados Unidos parecem ter uma política de "desmantelamento" em relação ao controle global de armas, acrescentou o presidente russo.

Durante a entrevista aos meios de comunicação sérvios, Putin também instou os parceiros ocidentais a estabelecer um …

OTAN deixa de considerar Rússia como ameaça

O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, em entrevista concedida à Foreign Policy, declarou que a Rússia não apresenta nenhuma ameaça à Aliança, contrariando o que ele disse dias antes.


Sputnik

"Em primeiro lugar, não vimos nenhuma ameaça em relação a um dos países-membros da OTAN e sempre comento as situações hipotéticas cuidadosamente", disse.


Jens Stoltenberg, secretário-geral da OTAN
Jens Stoltenberg © AP Photo/ Virginia Mayo

Na sexta-feira (16), durante a Conferência de Segurança de Munique, Alemanha, Jens Stoltenberg anunciou que "a ameaça nuclear está em pauta de novo", porque "a Rússia viola o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF)". No dia seguinte, ele acusou Moscou de desencadear "uma nova corrida nuclear" e acrescentou que "os parceiros da OTAN estão preocupados".

Nos últimos anos, a Rússia tem se manifestado sobre atividades sem precedentes da OTAN perto de suas fronteiras ocidentais. Ao mesmo tempo, a OTAN alega que tais ações são "contenção da agressão russa". Moscou já proferiu sua preocupação com as forças crescentes da Aliança na Europa. O porta-voz do presidente da Rússia, Dmitry Peskov, declarou que o país não representa ameaça a ninguém, mas sempre estará atento aos interesses potencialmente perigosos ao Estado.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas