Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

VÍDEO mostra fragata norueguesa afundando, tendo colidido após manobras da OTAN

A mídia divulgou novos vídeo e fotos da fragata norueguesa KMN Helge Ingstad, que colidiu com o navio petroleiro Sola TS junto à costa norueguesa em circunstâncias desconhecidas ao regressar das manobras da OTAN.
Sputnik

A fragata ficou com um grande rombo a estibordo atravessando a linha de água, sete marinheiros ficaram feridos. A tripulação abandonou o navio acidentado, que depois foi rebocado para águas menos profundas para evitar seu afundamento total.


Uns dias após o acidente (8), a fragata continua parcialmente acima da superfície da água, mas está completamente assente no fundo. Mais de 10 toneladas de combustível para helicópteros vazou para o mar.

Até o momento, não há nenhumas informações sobre o estado do armamento a bordo, incluindo mísseis de cruzeiro e antiaéreos, torpedos e artilharia.

O petroleiro Sola TS, por sua parte, não sofreu nenhum dano durante a colisão.

As razões do incidente estão sendo investigadas. Entre as possíveis causas estão a navegação da fragata em reg…

OTAN lança projeto para fortalecer a Defesa da Jordânia

A Organização do Tratado do Atlântico Norte, OTAN, lançou hoje um projeto para aumentar as capacidades de defesa e gestão de crise do Reino Haxemita da Jordânia, segundo informou a própria aliança por meio de um comunicado.


Sputnik

"O projeto de três anos ajudará o Centro Nacional de Segurança e Gerenciamento de Crise da Jordânia a atingir a capacidade operacional total e aumentará a capacidade da Jordânia em resiliência nacional, continuidade do governo e gerenciamento de crises", diz a nota da OTAN.


O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, segura um martelo cerimonial antes de uma reunião entre os ministros da Defesa do bloco e o da Geórgia, em Bruxelas, em 16 de fevereiro de 2017
© REUTERS/ Francois Lenoir

Ainda de acordo com o comunicado, o fortalecimento da parceria da organização com Amã está sendo possível graças a contribuições de quatro Estados-membros do bloco: Holanda, Alemanha, Noruega e Turquia.

A Jordânia é um dos países citados pelo Wall Street Journal, no ano passado, em reportagem sobre a formação de uma possível coalizão árabe para cooperar com os Estados Unidos e Israel para conter a influência do Irã no Oriente Médio. A ideia teria sido apresentada pelo governo de Donald Trump e contaria ainda, pelo menos, com Arábia Saudita, Emirados Árabes e Egito.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas