Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha da Argentina fala sobre localização do submarino ARA San Juan

Embarcação desaparecida há 1 ano foi localizada neste sábado a 907 metros de profundidade. Ainda não há previsão de início dos trabalhos de resgate. 'Não temos meios para resgatar o submarino', diz ministro.
Por G1

A Marinha da Argentina informou neste sábado (17) que o submarino ARA San Juan, que sumiu há 1 ano com 44 tripulantes, foi encontrado a 907 metros de profundidade em uma área de "visibilidade bastante reduzida", e que a embarcação sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma área de 80 a 100 metros. “Isso sugere que a implosão tenha ocorrido muito perto do fundo”, disse.

Segundo a Marinha, as imagens mostram que o casco do submarino permaneceu bastante intacto, apenas com algumas deformações, e que todas as outras partes se desprenderam. A implosão teria ocorrido em razão da pressão externa do mar ter superado …

Pelo 7º dia, bombardeios em Guta Oriental, na Síria, deixam mortos

Observatório Sírio de Direitos Humanos afirma que 21 pessoas morreram neste sábado (24). Ataques na região se intensificaram no domingo (18).


Por G1


Pelo menos 500 civis morreram em bombardeios do regime sírio em sete dias no enclave rebelde de Guta Oriental, nos arredores de Damasco, segundo estimativa divulgada pelo Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH). Entre os mortos, estão 121 crianças.

Grupo ativista contra o governo sírio divulgou foto de ataque aéreo em Guta Oriental, na sexta-feira (23)  (Foto: Ghouta Media Center via AP)
Grupo ativista contra o governo sírio divulgou foto de ataque aéreo em Guta Oriental, na sexta-feira (23) (Foto: Ghouta Media Center via AP)

Nos ataques deste neste sábado (24), 21 civis morreram. Entre segunda (19) e terça (20), ataques deixaram 250 civis mortos – entre eles 58 crianças - balanço de vítimas recorde em apenas 48 horas desde 2013.

A expectativa é a de que o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) vote ainda neste sábado um cessar-fogo de 30 dias no país. A pausa nos bombardeios permitiriam a entrada de ajuda humanitária e a retirada de feridos.

Na terça-feira (20), o coordenador da ONU para a Ajuda Humanitária na Síria, Panos Moumtzis, fez um apelo para que os ataques parassem. "É imperativo pôr fim imediatamente a este sofrimento humano insensato", afirmou Moumtzis em um comunicado.

Guta Oriental

Guta Oriental é um antigo destino de viagens de final de semana para os moradores da capital síria, Damasco, e atualmente um dos últimos redutos de rebeldes que lutam contra o regime do ditador Bashar Al-Assad.

O cerco a Guta Oriental teve início em 2013, dois anos depois de explodir a guerra na Síria. Nesta região, de cerca de 100 quilômetros quadrados, 400 mil pessoas vivem cercados por forças pró-Damasco.

Apesar de ser isolada e bombardeada há anos, desde o último domingo Guta Oriental é alvo de uma nova campanha aérea lançada pelo regime de Assad e seu aliado, a Rússia.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas