Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: presidente ucraniano mata sua indústria ao introduzir novas sanções contra Rússia

O presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, assinou um decreto sobre as sanções contra a Rússia adotadas pelo Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia. O especialista Eduard Popov falou com a Sputnik e indicou qual o principal objetivo perseguido pelo governo ucraniano com tal iniciativa.
Sputnik

Em 2 de maio, o Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia ampliou as medidas restritivas em relação a diversas pessoas físicas e jurídicas russas, bem como prolongou a vigência das sanções introduzidas anteriormente.

Segundo informou a assessoria de imprensa da entidade, as sanções são aplicadas a pessoas "relacionadas com a agressão no ciberespaço e no campo informacional" contra a Ucrânia, "ações criminosas" contra os cidadãos ucranianos detidos na Rússia, bem como aos deputados da Duma de Estado e do Conselho da Federação da Rússia.

O diretor do Centro de Cooperação Pública e Informativa "Europa", Eduardo Popov, disse ao serviço russo da Rádio Sp…

'Península porta-aviões': por que inteligência estrangeira se interessa pela Crimeia?

A península da Crimeia é um "porta-aviões da Rússia", o que não pode senão suscitar o interesse dos serviços de inteligência estrangeiros, afirmou o vice-presidente do Conselho Consultivo da República da Crimeia, Aleksandr Formanchuk.


Sputnik

Segundo disse o dirigente, é a localização estratégica da península que explica o grande interesse por parte dos serviços secretos dos países ocidentais.


Caças russo no aeródromo de Belbek, em Sevastopol, Crimeia
Sukhoi Su-24 e Su-34 russos na base aérea Belbek, em Sebastopol, Crimeia © Sputnik/ Sergey Malgavko

"Temos que nos acostumar a isso, pois vai continuar. Ao começar a fazer parte do território russo, a Crimeia dispõe de instalações militares adicionais, pois é uma 'península porta-aviões'. Tem uma boa localização do ponto de vista estratégico-militar, por isso é um lugar irritante para eles [os países ocidentais]", explicou.

Em 29 de janeiro, um caça russo Su-27 interceptou um avião de reconhecimento estadunidense EP-3 Aries sobre as águas neutras do mar Negro, perto das fronteiras da Rússia. Os Estados Unidos acusaram a parte russa de violar o Acordo de 1972 de Prevenção de Incidentes Sobre o Alto Mar (INCSEA em inglês). O Ministério da Defesa da Rússia, por sua vez, sublinhou que o voo foi realizado de acordo com as regras internacionais sobre o uso do espaço aéreo.


Postar um comentário