Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Novo corte na verba do PROSUB preocupa Comando da Marinha do Brasil

O Comandante da Marinha, almirante de esquadra Eduardo Leal Ferreira, está seriamente preocupado com as consequências negativas de um novo e importante corte nos recursos do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB), previstos para o orçamento de 2019.
Por Roberto Lopes e Alexandre Galante | Poder Naval

O Programa, cujos termos foram ajustados em 2009, estabelece a produção, no complexo industrial naval de Itaguaí (RJ), de quatro submarinos de ataque convencionais (propulsão diesel-elétrica) da classe Scorpène, e a assistência técnica francesa para a construção do primeiro submarino nuclear brasileiro.

O primeiro submarino convencional, batizado Riachuelo, deve ser lançado ao mar na manhã da quarta-feira 12 de dezembro.

Em novembro de 2016, reunido com lideranças da Base Industrial de Defesa, em São Paulo, o então ministro da Defesa, Raul Jungmann, estimou o valor total do investimento brasileiro no PROSUB em 30 bilhões de Reais.

O Poder Naval não teve acesso aos valores da reduçã…

'Ponta de lança' da OTAN: será que exército alemão representa uma ameaça para Rússia?

A Alemanha pretende desempenhar um papel mais ativo na OTAN apesar de enfrentar uma significativa falta de financiamentos e pessoal. Ex-tenente-coronel opinou em entrevista à Sputnik que por estas razões as Forças Armadas alemãs não representam uma ameaça para a Rússia.


Sputnik

No início de 2019, a Bundeswehr (Forças Armadas da Alemanha) deve desempenhar o papel-chave na criação da Força-Tarefa Conjunta de Prontidão Muito Alta na Europa Oriental. Esta unidade da Aliança se chama também de "ponta da lança". A nova sede da OTAN também está prevista ser construída na Alemanha, segundo informou na quarta-feira (14) a ministra da Defesa, Ursula Gertrud von der Leyen. Porém, a mídia relata a escassez na Bundeswehr de tanques capazes de combater.


Soldados da OTAN no tanque alemão Leopard 2 participam dos exercícios da Aliança, Lituânia
Militares em tanque alemão Leopard 2 © AP Photo/ Mindaugas Kulbis

Segundo informou a edição Die Welt, citando um documento secreto do Ministério da Defesa, a 9ª brigada blindada da Bundeswehr tem 44 tanques Leopard 2, mas apenas 9 destes estão operacionais, de 14 veículos blindados de transporte Marder só três estão aptos para o combate. Isso se deve à falta de peças e altos custos de manutenção técnica.

Além disso, de acordo com o documento, piorou o estado dos caças Eurofighter, Tornado e helicópteros de transporte.

O ex-tenente-coronel da Bundeswehr, Jurgen Rose, comentou à Sputnik que no documento em questão se trata inclusive do futuro orçamento do Ministério da Defesa e das Forças Armadas, querendo estas receber a maior soma possível, pois agora a Alemanha "tem muita Bundeswehr para pouco dinheiro".

Como sublinhou o tenente-coronel, agora a Bundeswehr dispõe apenas de 300 tanques comparados com os 3 mil que havia depois de terminada a Guerra Fria, acrescentando que a Rússia pode "relaxar".

"Os altos funcionários da Rússia podem relaxar devido a situação pouco agradável da Bundeswehr e seus problemas significativos", disse Rose à Sputnik Alemanha, ressaltando que as Forças Armadas alemãs não representam uma grande ameaça.

Mesmo assim, o militar aconselha a não subestimar as capacidades da Alemanha e OTAN, que poderão resolver rapidamente a situação caso ocorra uma situação de conflito.

O fato da estrutura militar da OTAN e Alemanha ser tão grande se deve as "supostas agressividade e ambições de grande potência da Rússia", além das centenas de militares que ganham muito dinheiro com isso, conclui.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas