Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Su-57 russo supera caças de 5ª geração F-22 e F-35 dos EUA, diz piloto militar

O uso de caças F-22 pela Força Aérea dos EUA na Síria privou este modelo de suas vantagens sobre aeronaves russas, segundo a mídia norte-americana. Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, um piloto militar russo comentou a situação.
Sputnik

A utilização de caças norte-americanos F-22 na Síria privou os EUA das vantagens destes caças em relação aos caças russos, escreveu o jornal Military Watch. Segundo Veralinn Jamieson, tenente-general da Força Aérea dos EUA, os céus do Iraque e da Síria se tornaram "armazém de informações" para russos sobre atuação de caças estadunidenses durante operações.

Segundo o autor do artigo, os russos tiveram bastante tempo para analisar e testar a tecnologia de furtividade dos F-22, além de terem coletado dados sobre o uso da aeronave e encontrado meios de combatê-la. Além disso, a Rússia poderá usar essas tecnologias na fabricação de suas aeronaves.

O artigo enfatiza que os radares dos sistemas de mísseis antiaéreos S-300 e S-400 da Rússia …

Por que ameaça nuclear de Pyongyang faz EUA rodearem Rússia com defesa antimíssil?

EUA "quase rodeiam" Rússia com seu sistema de defesa antimíssil por todo o perímetro do país, e agora também tem um novo alvo – a China, afirma o chanceler russo, Sergei Lavrov.


Sputnik

Em entrevista ao canal Rossiya 1, o chanceler russo explicou que EUA, apoiando-se no problema nuclear norte-coreano, posicionam sistemas de defesa antimíssil no território da Coreia do Sul e do Japão.


Camiões levando lançadores de mísseis dos EUA e outro equipamento para instalar o sistema de defesa antimíssil THAAD na base aérea de Pyeongtaek, Coreia do Sul
Sistema antimísseis THAAD dos EUA na Coreia do Sul © AP Photo/ Sem credenciais

"Em conjunto com o segmento europeu da defesa antimíssil global dos EUA, os mapas mostram claramente que todo o sistema, por acaso ou não, quase rodeia todo o perímetro da Federação da Rússia, e agora está apontado para a China", destacou.

"Estamos interessados em não permitir fortalecimento de tais tendências, o que, por sua vez, prevê negociações", sublinhou.

Ao mesmo tempo, seu homólogo japonês, Taro Cono, está seguro que a cooperação entre Japão, EUA e Coreia do Sul é vital para alcançar "desnuclearização da península coreana", comunica Kyodo.

Ele também indicou que essa colaboração tem como objetivo impedir "diplomacia de sorrisos", exercida pela Coreia do Norte.

Postar um comentário