Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Chefe da ONU diz que é essencial evitar escalada de tensões no Irã

O chefe da Organização das Nações Unidas (ONU), Antonio Guterres, alertou neste domingo que é essencial evitar “qualquer forma de escalada” das tensões no Golfo, em meio a temores de um conflito após a derrubada de um drone norte-americano pelo Irã na semana passada.
Por Catarina Demony | Reuters

LISBOA (Reuters) - “O mundo não pode permitir um grande confronto no Golfo”, disse Guterres, nos bastidores da Conferência Mundial de Ministros Responsáveis pela Juventude, em Lisboa . “Todos devem manter nervos de aço.”

Na quinta-feira, um míssil iraniano destruiu um drone de vigilância dos EUA, em um incidente que o governo norte-americano disse que aconteceu no espaço aéreo internacional.

Trump disse mais tarde que ordenou o cancelamento de um ataque militar em retaliação pela ação que poderia ter resultado em 150 mortes.

Teerã repetiu no sábado que o drone foi abatido sobre seu território e disse que responderia com firmeza a qualquer ameaça dos EUA.

Os comentários de Guterres vêm um dia depois…

Qual é a chance de Rússia e China estarem desafiando EUA pelo 1º lugar no ringue militar?

China e Rússia estão desafiando posição dominante dos EUA e seus aliados ocidentais tanto em capacidade aérea como naval, informou o relatório anual do Instituto Internacional de Estudos Estratégicos (IISS, na sigla em inglês), intitulado “The Military Balance 2018” (Balance militar de 2018).


Sputnik

O diretor da organização, John Chipman, alega que as três potências militares estejam sistematicamente se preparando para um conflito. 


O destróier Hefei da classe 052D da Marinha chinesa chega a Baltiysk para os treinamentos da China e da Rússia Cooperação Naval 2017
Destróier chinês Hefei da Classe 052D © Sputnik/ Igor Zarembo

Entre os argumentos previstos durante a apresentação da publicação em 14 de fevereiro na sede do IISS em Londres, Chipman sublinhou que "os EUA e seus aliados já não podem se agarrar ao domínio aéreo, que foi uma vantagem decisiva durante três décadas".

O desenvolvimento de armamento e a integração de componentes tecnológicos comprovam que a China está se transformando em um inovador global no que diz respeito à defesa em quase paridade com o Ocidente.

Segundo o relatório, o assunto inacabado do país é "melhorar em formação, doutrina e táticas".

Chipman, por sua vez, observa um processo “mais lento do que foi previsto” na renovação do material bélico da Rússia devido às "dificuldades de financiamento e industrial".

"Entretanto, Moscou continua demonstrando sua disposição de utilizar suas forças tanto perto de suas fronteiras como no exterior", afirmou o diretor de IISS.

O Balance militar de 2018 avalia as capacidades e gastos militares em 174 países, enumerando inventários de tropas e equipes nacionais, tanto ativos atuais e em processo de compra ou desenvolvimento.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas