Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Qual é a chance de Rússia e China estarem desafiando EUA pelo 1º lugar no ringue militar?

China e Rússia estão desafiando posição dominante dos EUA e seus aliados ocidentais tanto em capacidade aérea como naval, informou o relatório anual do Instituto Internacional de Estudos Estratégicos (IISS, na sigla em inglês), intitulado “The Military Balance 2018” (Balance militar de 2018).


Sputnik

O diretor da organização, John Chipman, alega que as três potências militares estejam sistematicamente se preparando para um conflito. 


O destróier Hefei da classe 052D da Marinha chinesa chega a Baltiysk para os treinamentos da China e da Rússia Cooperação Naval 2017
Destróier chinês Hefei da Classe 052D © Sputnik/ Igor Zarembo

Entre os argumentos previstos durante a apresentação da publicação em 14 de fevereiro na sede do IISS em Londres, Chipman sublinhou que "os EUA e seus aliados já não podem se agarrar ao domínio aéreo, que foi uma vantagem decisiva durante três décadas".

O desenvolvimento de armamento e a integração de componentes tecnológicos comprovam que a China está se transformando em um inovador global no que diz respeito à defesa em quase paridade com o Ocidente.

Segundo o relatório, o assunto inacabado do país é "melhorar em formação, doutrina e táticas".

Chipman, por sua vez, observa um processo “mais lento do que foi previsto” na renovação do material bélico da Rússia devido às "dificuldades de financiamento e industrial".

"Entretanto, Moscou continua demonstrando sua disposição de utilizar suas forças tanto perto de suas fronteiras como no exterior", afirmou o diretor de IISS.

O Balance militar de 2018 avalia as capacidades e gastos militares em 174 países, enumerando inventários de tropas e equipes nacionais, tanto ativos atuais e em processo de compra ou desenvolvimento.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas