Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Expansão da OTAN na Europa é uma 'relíquia da Guerra Fria', diz Putin

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse em entrevista à imprensa sérvia publicada nesta quarta-feira (horário local) que a Rússia não quer uma nova corrida armamentista.
Sputnik

"Não vamos fechar os olhos ao desdobramento de mísseis de cruzeiro dos EUA [na Europa] e sua ameaça direta à nossa segurança. Teremos que tomar medidas eficazes de retaliação. Mas como país responsável e sensato, a Rússia não está interessada em uma nova corrida armamentista", afirmou.


Segundo o presidente russo, Moscou enviou em dezembro a Washington algumas propostas sobre a manutenção do Tratado INF. Além disso, Putin destacou que a Rússia está pronta para um diálogo sério com os Estados Unidos sobre toda a agenda estratégica.

No entanto, os Estados Unidos parecem ter uma política de "desmantelamento" em relação ao controle global de armas, acrescentou o presidente russo.

Durante a entrevista aos meios de comunicação sérvios, Putin também instou os parceiros ocidentais a estabelecer um …

Rússia espera que EUA cesse seu apoio a ultranacionalistas ucranianos

Rússia expressou hoje sua esperança de que os Estados Unidos ponha fim ao seu respaldo ao ultranacionalismo na Ucrânia e em outros países do leste europeu, depois de um ataque de radicais contra a sede da Rossotrudnechestva em Kiev.


Prensa Latina


Moscou - Tal apoio tem o risco de desembocar em uma escalada de violência e de expressões de xenofobia e extremismo, denunciou a embaixada russa nos Estados Unidos, citada pela televisão da capital.

Tropas dos EUA na Ucrânia | Reprodução

Sobre isso refere-se o ocorrido neste fim de semana na Ucrânia, onde os ultranacionalistas assaltaram o Centro russo de Ciência e Cultura e o escritório da Rossotrudnechestva, destaca o comunicado.

A missão diplomática russa recordou que na próxima semana se inicia a Assembleia Parlamentar da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa.

Para essa ocasião, os legisladores estadunidenses contarão com uma oportunidade ideal para comentar tais acontecimentos, sobretudo, porque os atos de vandalismo foram dirigidos por seu colega, o deputado da Rada Suprema pelo Partido Radical Andrei Lozovoi, assinala.

O nacionalismo radical adquire traços de política do governo na Ucrânia, afirma a embaixada russa, em clara alusão à impunidade com que agiram os ultranacionalistas ao destruir parte das instalações deste país em Kiev.

As autoridades da Ucrânia promovem a imagem de que a Rússia é o inimigo, em meio a contradições internas, turbulências políticas (marchas para exigir a renúncia de Piotro Poroshenko) e a insatisfação social nessa república ex-soviética, destaca o documento oficial.

Não ouvimos até o momento nenhuma reação de Washington a estes fatos violentos que também não são os primeiros contra nossas instituições oficiais, indica a notificação da embaixada russa.

Quiçá os ultranacionalistas estejam inspirados na maneira com a qual o governo norte-americano se apossou de propriedades da missão diplomática no país nortenho, incluídas duas casas de repouso, igual número de escritórios de Comércio e o consulado em San Francisco, opina.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas