Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Oficial americano joga culpa para Israel pelo ataque às forças sírias

No domingo (17), a mídia síria relatou ataque ao povoado sírio Al-Harra, província de Deir ez-Zor, na fronteira com o Iraque, supostamente realizado pela coalizão internacional, liderada pelos EUA, tendo como alvo forças governamentais. Porém, um oficial americano culpou Israel pelo ataque.
Sputnik

Anteriormente, uma fonte militar relatou à mídia síria que drones "provavelmente americanos" bombardearam Al-Harra, entre Abu Kamal e Al-Tanf.

Segundo dados das Forças de Mobilização Popular iraquianas, o ataque matou 22 soldados iraquianos. O Observatório Sírio de Direitos Humanos, por sua vez, disse que o número total de vítimas corresponde a 52 pessoas, citado pelo Haaretz.

"Entre [os mortos] estão ao menos 30 militares iraquianos e 16 sírios, incluindo soldados e membros da milícia leal ao governo", afirmou à mídia o chefe do Observatório Sírio, Rami Abdel Rahman.

Comentando a notícia, o porta-voz do Departamento de Defesa dos EUA, Adrian Rankine-Galloway, descartou que W…

Rússia está preocupada por EUA tentarem desintegrar Síria, afirma chanceler russo

O chefe da diplomacia russo, Sergei Lavrov pediu aos EUA para que "não joguem com fogo" na Síria.


Sputnik

O ministro das Relações Exteriores da Rússia expressou preocupações quanto às ações que EUA realizam na Síria e que, em sua opinião, têm com objetivo desintegrar o país.


Soldado norte-americano em cima de um veículo blindado na Síria
Tropa dos EUA na Síria © AP Photo/ APTV

Além disso, ele acusou Washington de usar curdos para abalar a integridade territorial da República Árabe da Síria.

Ademais, o chanceler russo sublinhou que é vital "preservar a soberania e integridade territorial da Síria". Neste contexto, Moscou está receosa por tentativas (dos EUA) de dividir o país.

De acordo com Lavrov, "tais preocupações surgem ao conhecer os planos que Estados Unidos estão começando a efetuar", em particular, "ao leste do rio Eufrates e em vastos territórios entre o rio e fronteiras externas da Síria com Iraque e com Turquia".

"Mais uma vez peço a nossos parceiros norte-americanos para que não joguem com fogo e realizem suas ações não considerando as exigências da situação política atual, mas os interesses de longos prazos sírios e de outros povos que habitam a região, inclusive os curdos", destacou.

Ao mesmo tempo, o ministro russo sublinhou que "as garantias de nossos colegas estadunidenses, cujo principal objetivo é lutar na Síria contra o Daesh [organização terrorista proibida na Rússia] e preservar a integridade territorial, precisam ser confirmadas por ações concretas".

Postar um comentário

Postagens mais visitadas