Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Queremos que a Venezuela volte à democracia', diz Bolsonaro a TV dos EUA

Em entrevista à Fox News, o presidente também defendeu o muro para separar EUA do México. Nesta terça, ele vai se encontrar com Donald Trump.
Por G1

O presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista à TV norte-americana na madrugada desta terça-feira (19) que a Venezuela estará no centro das discussões durante o encontro com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca, nesta tarde.

Ao canal Fox News, Bolsonaro reafirmou que o presidente norte-americano mantém "todas as opções na mesa"em relação à Venezuela. "Nós não podemos falar em todas as possibilidades, mas o que for possível de forma diplomática", disse Bolsonaro, segundo tradutor da emissora.

A entrevista foi ao ar com tradução simultânea, e em alguns trechos não foi possível ouvir o que o presidente respondeu. Bolsonaro disse que o Brasil é o país mais interessado em pôr fim ao governo de Nicolás Maduro.

O presidente afirmou que o governo brasileiro está alinhado ao de Trump. "Hoje temos nova ideologia,…

Rússia está preocupada por EUA tentarem desintegrar Síria, afirma chanceler russo

O chefe da diplomacia russo, Sergei Lavrov pediu aos EUA para que "não joguem com fogo" na Síria.


Sputnik

O ministro das Relações Exteriores da Rússia expressou preocupações quanto às ações que EUA realizam na Síria e que, em sua opinião, têm com objetivo desintegrar o país.


Soldado norte-americano em cima de um veículo blindado na Síria
Tropa dos EUA na Síria © AP Photo/ APTV

Além disso, ele acusou Washington de usar curdos para abalar a integridade territorial da República Árabe da Síria.

Ademais, o chanceler russo sublinhou que é vital "preservar a soberania e integridade territorial da Síria". Neste contexto, Moscou está receosa por tentativas (dos EUA) de dividir o país.

De acordo com Lavrov, "tais preocupações surgem ao conhecer os planos que Estados Unidos estão começando a efetuar", em particular, "ao leste do rio Eufrates e em vastos territórios entre o rio e fronteiras externas da Síria com Iraque e com Turquia".

"Mais uma vez peço a nossos parceiros norte-americanos para que não joguem com fogo e realizem suas ações não considerando as exigências da situação política atual, mas os interesses de longos prazos sírios e de outros povos que habitam a região, inclusive os curdos", destacou.

Ao mesmo tempo, o ministro russo sublinhou que "as garantias de nossos colegas estadunidenses, cujo principal objetivo é lutar na Síria contra o Daesh [organização terrorista proibida na Rússia] e preservar a integridade territorial, precisam ser confirmadas por ações concretas".

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas