Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China: 'Relatório do Pentágono distorce nossas intenções estratégicas'

A China rejeita firmemente as conclusões do relatório do Departamento de Defesa dos EUA sobre a situação militar e de segurança no país asiático, disse em comunicado o porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Lu Kang.
Sputnik

"Em 17 de agosto, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos divulgou o relatório sobre a situação militar e de segurança na China, interpretando mal as intenções estratégicas da China e apresentando a chamada ‘ameaça militar chinesa' […] Os militares chineses expressam sua firme oposição a esse respeito", diz a declaração.

"As alegações do relatório dos EUA são pura especulação", disse Kang, explicando que o programa de modernização do Exército chinês se destina a defender "os interesses da soberania, segurança e desenvolvimento do país" e para "providenciar a paz, estabilidade e prosperidade globais".

O porta-voz do ministério chinês também reiterou a posição firme de seu país em relação a Taiwan, que ele definiu como u…

Rússia propõe a EUA estabelecer limite máximo de aproximação entre aviões e navios

A Chancelaria russa fez a proposta aos EUA de determinar o limite máximo de aproximação entre aviões e navios.


Sputnik

Os militares dos EUA e Rússia regularmente reportam incidentes entre aviões e navios de ambos os países.


Caças russos Su-27
Dois Sukhoi Su-27 russos © Sputnik/ Mikhail Voskresensky

"Considerando a escolta de navios militares e aviões, defendemos energicamente a complementação dos acordos bilaterais sobre a prevenção de incidentes no mar e no espaço aéreo do ano de 1972 com artigos sobre o limite máximo de aproximação", disse a representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova.

No entanto, segundo as palavras de Zakharova, até o momento não há reação alguma por parte dos Estados Unidos.

O último ocorreu em 29 de janeiro, quando o avião espião estadunidense EP-3E foi interceptado pelo caça russo Su-27. Esse incidente, qualificado por Moscou como "normal e absolutamente legal" foi considerado "perigoso" por Washington, destacando que tais ações provocam o risco de "consequências catastróficas". A intercepção ocorreu sobre águas do mar Negro.

Moscou afirmou que o avião de vigilância estava indo em direção ao espaço aéreo russo e destacou que "todas as precauções necessárias" para evitar uma situação perigosa foram tomadas.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas