Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Su-57 russo supera caças de 5ª geração F-22 e F-35 dos EUA, diz piloto militar

O uso de caças F-22 pela Força Aérea dos EUA na Síria privou este modelo de suas vantagens sobre aeronaves russas, segundo a mídia norte-americana. Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, um piloto militar russo comentou a situação.
Sputnik

A utilização de caças norte-americanos F-22 na Síria privou os EUA das vantagens destes caças em relação aos caças russos, escreveu o jornal Military Watch. Segundo Veralinn Jamieson, tenente-general da Força Aérea dos EUA, os céus do Iraque e da Síria se tornaram "armazém de informações" para russos sobre atuação de caças estadunidenses durante operações.

Segundo o autor do artigo, os russos tiveram bastante tempo para analisar e testar a tecnologia de furtividade dos F-22, além de terem coletado dados sobre o uso da aeronave e encontrado meios de combatê-la. Além disso, a Rússia poderá usar essas tecnologias na fabricação de suas aeronaves.

O artigo enfatiza que os radares dos sistemas de mísseis antiaéreos S-300 e S-400 da Rússia …

Rússia revela como EUA criam obstáculos à sua luta contra terrorismo na Síria

Em 2016 e 2017, os Estados Unidos bloquearam ativos do Ministério da Defesa da Rússia correspondentes a mais de US$ 5 milhões (R$ 16,4 milhões) e destinados à luta contra o terrorismo na Síria.


Sputnik

"Em 2016 e 2017, o sistema bancário dos EUA bloqueou verbas do Ministério da Defesa da Rússia destinadas a pagar pelo combustível dos nossos aviões que fazem frente aos terroristas na Síria", afirmou Zakharova durante coletiva de imprensa.


Aviões da Força Aeroespacial da Rússia na base de Hmeymim, Síria
Aviões russos em base aérea na Síria © Foto: Ministério da Defesa da Rússia

Neste contexto, ela detalhou se tratar de mais de US$ 5 milhões (R$ 16,4 milhões), adicionando que "até o momento o valor não foi devolvido".

A diplomata russa deu mais um exemplo: em 2017, as autoridades estadunidenses impediram transferência de US$ 20 mil (R$ 65,5 mil) da Rússia para a Agência Internacional de Energia Atômica (OIEA).

Ao falar sobre posição russa quanto ao assunto, a representante do MRE sublinhou que ações semelhantes dos EUA são inadmissíveis e preocupantes.


Postar um comentário