Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Queremos que a Venezuela volte à democracia', diz Bolsonaro a TV dos EUA

Em entrevista à Fox News, o presidente também defendeu o muro para separar EUA do México. Nesta terça, ele vai se encontrar com Donald Trump.
Por G1

O presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista à TV norte-americana na madrugada desta terça-feira (19) que a Venezuela estará no centro das discussões durante o encontro com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca, nesta tarde.

Ao canal Fox News, Bolsonaro reafirmou que o presidente norte-americano mantém "todas as opções na mesa"em relação à Venezuela. "Nós não podemos falar em todas as possibilidades, mas o que for possível de forma diplomática", disse Bolsonaro, segundo tradutor da emissora.

A entrevista foi ao ar com tradução simultânea, e em alguns trechos não foi possível ouvir o que o presidente respondeu. Bolsonaro disse que o Brasil é o país mais interessado em pôr fim ao governo de Nicolás Maduro.

O presidente afirmou que o governo brasileiro está alinhado ao de Trump. "Hoje temos nova ideologia,…

Será que Alemanha carece de tanques para cumprir missões da OTAN?

Bundeswehr (Forças Armadas da Alemanha) não possui quantidade necessária de tanques para cumprir operações da OTAN e para desempenhar papel de liderança no grupo de forças de reação rápida no Leste Europeu, comunica o jornal Welt, citando documento secreto do Ministério da Defesa da Alemanha.


Sputnik

De acordo com o Welt, no início de 2019, a Bundeswehr deve assumir papel-chave na criação do grupo de reação rápida internacional Ponta de Lança. Contudo, conforme nota a edição, a 9ª brigada de tanques de Munster, que pode vir a assumir essa tarefa da OTAN, conta com somente nove tanques aptos para combate dos 44 necessários Leopard-2 e três dos 14 veículos blindados de infantaria Marder.


Veículo de combate Puma da Bundeswehr (Forças Armadas da Alemanha) durante exercícios militares no noroeste do país
Puma do exército alemão © AFP 2018/ PATRIK STOLLARZ

Trata-se da falta de peças de reserva e dos altos custos de manutenção técnica. Além disso, a Bundeswehr carece de dispositivos de visão noturna, de lança-granadas, de transportes adicionais, de equipamento de inverno e de colete à prova de balas, frisa o jornal.

Conforme o Welt, os problemas não deixaram de lado a Força Aérea alemã, que também é incapaz de cumprir as obrigações da OTAN. O preparo militar do complexo de combate principal dos caças Eurofighter e Tornado, bem como de helicópteros de transporte CH-53, está muito deteriorado. Como mostram estatísticas, cada um desses complexos pode participar de operações, de preparo e de manobras somente quatro meses por ano. Os outros oito meses são utilizados para reparar as aeronaves, eliminando, assim, problemas antes de voos e reequipamento.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas