Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha da Argentina fala sobre localização do submarino ARA San Juan

Embarcação desaparecida há 1 ano foi localizada neste sábado a 907 metros de profundidade. Ainda não há previsão de início dos trabalhos de resgate. 'Não temos meios para resgatar o submarino', diz ministro.
Por G1

A Marinha da Argentina informou neste sábado (17) que o submarino ARA San Juan, que sumiu há 1 ano com 44 tripulantes, foi encontrado a 907 metros de profundidade em uma área de "visibilidade bastante reduzida", e que a embarcação sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma área de 80 a 100 metros. “Isso sugere que a implosão tenha ocorrido muito perto do fundo”, disse.

Segundo a Marinha, as imagens mostram que o casco do submarino permaneceu bastante intacto, apenas com algumas deformações, e que todas as outras partes se desprenderam. A implosão teria ocorrido em razão da pressão externa do mar ter superado …

Síria decide posicionar Forças Armadas em Afrin para se defender da Turquia

Milícias curdas e o governo da Síria chegaram a um acordo sobre a implantação das Forças Armadas da Síria em Afrin, a mídia libanesa reportou na quinta-feira (15).


Sputnik

A decisão foi tomada para proteger o distrito de Afrin contra ataques da Turquia e de seus aliados, reportou o canal de televisão libanês Al-Mayadeen, citando uma fonte conhecedora da situação.


Tanque T-62 do exército da Síria
Militar sírio em tanque T-62 © REUTERS/ Umit Bektas

Na quinta-feira (15), uma fonte informou à Sputnik que, nos próximos dias, as Forças Armadas da Síria entrariam no distrito de Afrin, perto da fronteira com a Turquia.

"Foi fechado um acordo sobre a implantação, nos próximos dias, das Forças Armadas da Síria na fronteira entre a Síria e a Turquia, em Afrin, no norte de Aleppo. O acordo foi fechado entre o governo da Síria e os curdos", disse a fonte.

No entanto, o Departamento de Estado dos EUA desconhece esse acordo que prevê a entrada das Forças Armadas da Síria no enclave de Afrin, no norte da Síria, informou a fonte para a Sputnik.

Desde janeiro, a Turquia tem posto em ação a operação militar Ramo de Oliveira contra os curdos em Afrin. O enclave é controlado pelas Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG), consideradas por Ancara uma afiliada do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) e, também, como uma organização terrorista na Turquia e em alguns outros países.

Damasco condenou as ações de Ancara ao chamar a operação de violação da soberania do país.

OTAN satisfeita com a operação militar da Turquia na Síria


Na quinta-feira (15), o ministro da Defesa da Turquia, Nurettin Canikli, disse, durante sessão ministerial realizada em Bruxelas, que a Aliança não protestou contra a operação militar Ramo de Oliveira e acrescentou que envolveu Ancara para conter o uso desproporcional de forças durante suas atividades no norte da Síria.

Enquanto isso, o primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, declarou que Ancara espera que seus aliados apoiem a luta contra o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), contra as Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG) e contra o Partido da União Democrática Curda (PYD).

Postar um comentário

Postagens mais visitadas